Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Olá Navegantes!

E aí pessoal, tudo bem? Como está a semana de vocês? Boa? Mais ou menos? Eu sinceramente espero que estejam todos bem, e que este mês de abril seja um mês de serendipidades.

Por falar em abril, eu não poderia deixar de abordar a campanha de saúde desse mês com vocês: Abril Azul! Sim! Este é o mês de conscientização sobre o autismo! Em 2021 o lema da campanha que visa à luta pelos que vivem com o Transtorno do Espectro Autista (TEA) é “Respeito para todo o espectro”.

Em todas as nossas conversas eu procuro abordar com você assuntos pertinentes à saúde mental, e o tema autismo ainda gera muitas dúvidas na maioria da população, principalmente na hora do diagnóstico. Nós já abordamos especificamente sobre este tema em uma de nossas viagens, e vale aqui relembrar brevemente nosso diálogo:

“Primeiro, vou explicar o que é o autismo e o porquê desse nome mais complicado “espectro autista”. O autismo consiste no prejuízo persistente na comunicação e interação social, padrões restritos e repetitivos de comportamento, interesses ou atividades (esses sintomas surgem ainda na primeira infância). Existem 3 níveis de classificação, (graus de comprometimento), sendo leve, moderado e severo.

Aí você deve estar se perguntando sobre a palavra “espectro”. A palavra Espectro, nesse caso, faz analogia ao ‘espectro eletromagnético’ (que é o intervalo completo de todas as possíveis frequências da radiação eletromagnética). No entanto, no caso do TEA, ao invés de radiações teremos ‘sintomas’. Assim sendo, a palavra Espectro dá a ideia de um intervalo completo, com todas as possibilidades de gravidade dos sintomas.

Resumindo, o que se chama hoje de Transtorno de Espectro Autista é assim chamado porque o autismo não se manifesta apenas de uma única forma. Ele pode ocorrer em diversos níveis, influenciar a funcionalidade e a sociabilidade do indivíduo em diversos graus, e os sintomas e sensibilidades também variam de acordo com inúmeros fatores: por isso, um espectro.”

Depois desse rápido #tbt sobre o nosso diálogo a respeito do autismo, fica a oportunidade de você continuar navegando na psicologia, e pode acessar o conteúdo completo que eu produzi sobre o autismo aqui: O perigo de consultar o Dr. Google quando há suspeita de Autismo

Aproveite também para compartilhar conhecimento em saúde mental, faça parte da campanha de conscientização Abril Azul promovendo e contribuindo para o respeito, amor e empatia para pessoas com TEA em sua comunidade. E lembre-se sempre que nós devemos “Respeito para todo o espectro”.

Nos vemos em breve! 🙂

Syrsjane N. Cordeiro

Psicóloga pelo UNASP – SP, Especialista em Saúde Mental. Já atuou como psicóloga na prevenção e promoção de saúde na atenção básica (2014); na prevenção e promoção de saúde indígena no Alto Rio Solimões (2015); atuou também na área da assistência social, no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS).


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •