Bíblia. (Photo by Aaron Burden on Unsplash)
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

De acordo com uma pesquisa que fazia parte de um relatório recém-lançado pela Sociedade Bíblica Americana, menos de 10% da geração Z está centrada na Bíblia. A pesquisa concluiu em seu relatório “Estado da Bíblia – EUA 2021” que a geração Z, definida atualmente como tendo entre 9 e 24 anos, tem uma “relação precária com a Bíblia”.

Os pesquisadores entrevistaram indivíduos e dividiram a geração entre “jovens da Geração Z,” com idades entre 15 e 17, para separá-los dos “adultos da Geração Z”, com idade entre 18 e 24 anos.

Em comparação, 14% dos adultos da Geração Z e 23% dos Millennials, ou Geração Y, foram classificados como “engajados nas Escrituras”. Além disso, 47% dos jovens da Geração Z foram apontados como “desengajados com a Bíblia”.

“Metade de todos os adultos americanos se qualificam como um usuário da Bíblia hoje, usando a Bíblia pelo menos três a quatro vezes por ano. No entanto, apenas um terço dos jovens da Geração Z (34%) são usuários da Bíblia, enquanto 43% dos adultos da Gen Z se qualificam. Comparado com a Gen Z, os Millennials têm uma porcentagem muito maior de Usuários da Bíblia, aproximando-se da média nacional (49%)”,  afirmou o relatório.

A Sociedade Bíblica Americana também descobriu que, durante a pandemia e protestos generalizados sobre a injustiça racial em 2020, os jovens da Geração Z foram os mais propensos a relatar a diminuição de sua leitura da Bíblia.

Os millennials, por outro lado, são mais propensos a dizer que seu uso bíblico aumentou no último ano (29%) em comparação com os adultos Geração Z (27%) e jovens Geração Z (21%).

Uma descoberta adicional do relatório foi que a Geração Z, em geral, tinha uma “incerteza significativa sobre o valor das Escrituras” além do “engajamento bíblico abaixo da média”.

“Quando perguntados sobre a importância da Bíblia para sustentar os ideais americanos, os jovens na Geração Z (idades entre 15 e 17 anos) eram mais propensos do que os adultos de sua geração, e muito mais propensos do que os idosos, a serem indecisos”, acrescentou o relatório.

“Os jovens da Gen Z podem continuar a formar suas opiniões à medida que envelhecem em direção à idade adulta, mas a Gen Z como um todo ainda é mais provável do que os Millennials questionar a relevância da Bíblia em  questões como Liberdade (37% x  27%) e Unidade (29% x 20%)”, disse o relatório segundo Christian Post. (Gospel Prime)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •