Deputada Dra. Mayara Pinheiro (no detalhe), presidente da Comissão de Saúde e Previdência da Aleam
Compartilhe

A presidente da Comissão de Saúde e Previdência da Aleam, deputada Dra. Mayara Pinheiro (Republicanos), solicitou à Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) informações sobre estratégia para prevenção e atendimento de casos de Hepatite Aguda Grave, de causa desconhecida. A Organização Mundial da Saúde (OMS) já registrou 348 casos prováveis de hepatite “misteriosa” no mundo.

O ofício nº 024/2022 foi encaminhado à FVS, no último dia 11 de maio, após o Ministério da Saúde emitir comunicado de risco relacionado à doença, de etiologia desconhecida. No Brasil, até o momento, são investigados 28 casos em crianças que estavam aparentemente saudáveis.

Para Mayara, é necessário se antecipar e elaborar medidas preventivas para minimizar os impactos na saúde da população amazonense.

“Estamos vindo de uma pandemia severa, e precisamos ficar em alerta para os possíveis casos de doenças relacionadas ou não à Covid-19. A hepatite aguda grave, em casos crônicos, tem necessidade de transplantes. Nossas crianças precisam ser resguardadas”, destacou.

300x250tce

A parlamentar enviou ainda o Requerimento nº 1559/2022 à Secretaria de Saúde para saber sobre a situação e planejamento referente aos transplantes hepáticos. Isso porque dos casos notificados de Hepatite Aguda Grave, cerca de 17 crianças (aproximadamente 10%) necessitaram de transplante de fígado e ao menos uma morte foi relatada. Todos foram negativos para Hepatites virais dos tipos A, B, C, D e E.

Há uma hipótese de que o adenovírus ou SARS-CoV-2, popularmente conhecido como Covid, esteja relacionado à doença, mas não há comprovação científica.

“É imprescindível avaliarmos a situação tendo em vista que podemos necessitar de transplante para nossas crianças. Aguardo resposta célere da SES para que seja possível viabilizarmos e/ou aperfeiçoarmos os serviços prestados aos cidadãos amazonenses para que tenham toda a assistência necessária”, afirmou.


Compartilhe