Compartilhe

O pistoleiro suspeito de matar o sargento Exército Brasileiro, Lucas Ramon Guimarães, 29 anos, executado a tiros no dia 1º de setembro deste ano, foi preso na noite desta segunda-feira (22), por policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros.

A prisão ocorreu no bairro Colônia Antônio Aleixo, Zona Leste de Manaus. O delegado Ricardo Cunha, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros, comandou a ação que levou a cadeia o suspeito de executar o sargento do Exército.

Com o suspeito do crime, identificado como Silas Ferreira da Silva, 26 anos, os policiais apreenderam uma motocicleta.

O crime ocorreu na noite do dia 1º de setembro, por volta de 18h20 quando o matador entrou no Mirzes Café, localizada na Avenida Ayrão, na Praça 14 de Janeiro, Zona Centro-Sul de Manaus, efetuou os disparos e fugiu, em uma motocicleta.

Empresários Soltos

No último dua 10, o ministro Reynaldo Soares da Fonseca, da Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça, concedeu habeas corpus ao empresário Joabson Agostinho Gomes e sua esposa Jordana Azevedo Freire, donos da rede Vitória Supermercados. Ele juntamente com sua esposa são acusados de envolvimento no assassinato do sargento Lucas Ramon Guimarães.

O empresário e a esposa, Jordana Azevedo Freire, foram presos ao se apresentarem na Delegacia de Homicídios e Sequestros no dia 21 de Setembro.

Entenda o Caso

O sargento Lucas Ramon Silva Guimarães, 29 anos, foi executado a tiros no dia 1º de setembro deste ano, por volta de 18h20 quando o matador entrou no Mirzes Café, localizada na Avenida Ayrão, na Praça 14 de Janeiro, Zona Centro-Sul de Manaus, efetuou os disparos e fugiu.

O motivo do crime foi uma relação extraconjugal entre Lucas, que era genro do dono do Hospital Santa Júlia, e Jordana Azevedo, esposa de Joabson Agostinho, dono do Supermercado Vitória. Além disso, Jordana entregou uma quantia de R$ 200 mil a Lucas, dinheiro este que pertencia ao supermercado.

Joabson Agostinho e Jordana Azevedo, acusados de envolvimento com no assassinato do sargento da FAB Lucas Guimarães, foram parar atrás das grades dia 21 do mês passado quando se entregaram na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros.


Compartilhe