Compartilhe

Moradores da comunidade São Sebastião, localizada no Km 6, do Ramal dos Caminhoneiros, em Iranduba (a 28 Km de Manaus) estão se mobilizando para coletar assinatura para um abaixo-assinado que reivindicam dos órgãos públicos e ambientais do município e do Estado a retirada imediata do lixão localizado na área.

O documento, que já conta com 50 assinaturas, alerta que o depósito irregular de resíduos que existe no local desde o final da década de 1990, é uma grave ameaça para a segurança e a saúde das mais de 100 famílias que residem na área por conta dos animais, como ratos e urubus, que são atraídos pelos materiais depositados a céu aberto e para o meio ambiente da região.

Com cerca de 50 mil habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e em crescente expansão por conta de diversos empreendimentos imobiliários, o município de Iranduba produz diariamente, cerca de 150 toneladas de resíduos residenciais, comerciais e industriais, que são depositados no Ramal dos Caminhoneiros de forma irregular e sem nenhum controle e fiscalização dos órgãos públicos.

De acordo com a comerciante e uma das organizadoras do movimento que pede o fim do lixão, Erica Soraia Guimarães, moradora e proprietária de um estabelecimento comercial localizado próximo ao depósito irregular, além dos ratos e urubus, a quantidade de moscas que são atraídas pelo lixo é tão grande que se torna impossível fazer uma refeição saudável em toda a comunidade.

No abaixo-assinado, os moradores advertem que o intenso tráfego de veículos pesados no Ramal dos Caminhoneiros (uma ramificação da Estrada do Janauari, em frente a entrada para o local onde seria construída a Cidade Universitária em Iranduba), está destruindo a pista e isolando os moradores da região, principalmente neste período de chuvas.

Entre os vários problemas provocados pelas dezenas de caminhões e veículos pesados que diariamente passam na estrada, estão os buracos e trechos intransitáveis que dificultam o acesso da população a serviços como atendimento médico e até mesmo ao abastecimento de produtos básicos e alimentos.

Funcionando a mais de duas décadas fora da lei, o depósito irregular também atrai diariamente cerca de 20 catadores de materiais e lixo que coletam alimentos e materiais recicláveis no local sem nenhuma condição de higiene e segurança.

Os moradores da região denunciam ainda, que o lixo depositado irregularmente já está sendo levado pela chuva para igarapés próximos e afetando fontes de água na Estrada do Janauari, que fica próxima ao local e onde estão localizados condomínios residenciais, balneários e o Lago do Janauari, uma das principais atrações turísticas de Iranduba e da Região Metropolitana de Manaus.


Compartilhe