Foto: Cleomir Santos / Semed
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Para promover a educação financeira desde a infância, bem como, recuperar a aprendizagem de estudantes da rede municipal de ensino, a Prefeitura de Manaus encerrou, na última quinta-feira, 14/10, a ação pedagógica “Meu Dinheirinho”, coordenado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), na escola municipal República do México, bairro Flores, zona Sul. A unidade de ensino realiza há sete anos a atividade temática, com os 352 alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental.

A ação ocorreu com valores de R$ 1 a R$ 10 fictícios e critérios avaliativos como frequência do aluno na escola, atividades concluídas, comportamento e participação, além de leitura e aprendizado da tabuada. A programação contou com sala de cinema, jogos, leitura, distribuição de brindes, rifa, feira de guloseimas e a entrega de um kit escolar.

A pedagoga responsável pela direção da escola, Claudia Liz Costa, disse que o evento tem uma proposta pedagógica muito significativa com os alunos em sala de aula. Para ela, é fundamental o trabalho realizado pelas professoras, que educam as crianças e se empenham em conseguir bons resultados.

Foto: Cleomir Santos / Semed

“A gente tenta recuperar a aprendizagem das crianças com essa ação do dinheirinho fictício, porque eles compram os brindes que foram doados pelos pais e pelas próprias professoras. Eles vêm todos os dias quando tem o projeto, porque é um estímulo a mais na escola. Este ano, mais especificamente, estamos fazendo a recuperação da aprendizagem, por conta do Prosaeb 2021, que acontece em novembro. A gente está tendo todo esse cuidado para prepará-los”, disse.

A professora responsável pela ação, Alina Farias, ficou satisfeita com os resultados obtidos com os alunos na questão do processo de ensino-aprendizagem. Para a educadora, essa é a principal meta da execução do programa na escola.

“O projeto para as crianças é algo excelente, porque elas amam as atividades. Desde o primeiro momento, nós vimos uma aceitação, tanto das crianças quanto dos pais. Também percebemos que existe um empenho maior dos alunos em alcançar os valores, e com isso, se dedicam mais ainda em estar na escola e realizar atividades no aprendizado da leitura, nossa maior preocupação”, completou.

Para a aluna do 2º ano, Alanna Sofia da Gomes Serrão, 7 anos, que se dedicou às atividades pedagógicas para acumular uma maior quantidade de dinheiro fictício, a programação foi ótima e de muito aprendizado. Ela conseguiu aproveitar da melhor maneira possível.

“A feirinha foi muito legal, porque comprei várias coisas como pipoca, refrigerante, brinquedos, bombons, e outras coisas. Com as atividades em sala, consegui ler, escrever e contar os números até 100, inclusive na tabuada. A professora me ajudou a fazer as contas direito, daí eu apagava e depois conseguia fazer sozinha”, contou entusiasmada.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •