Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A deputada estadual Nejmi Aziz (PSD-AM) encaminhou esta semana à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) uma proposta de Projeto de Lei para conceder o título de “Cidadão Amazonense” ao ator, humorista, diretor, roteirista e apresentador brasileiro, Paulo Gustavo (in memorian) como agradecimento e retribuição aos serviços de solidariedade prestados à sociedade amazonense, durante a segunda onda da COVID-19 no Amazonas.

Após a recente morte do ator, a opinião pública tomou conhecimento da doação de recursos financeiros para a aquisição de cilindros abastecidos com oxigênio para o imediato atendimento médico dos amazonenses infectados pelo novo coronavírus. A doação aconteceu durante o colapso na área de saúde, motivado pelo desabastecimento de oxigênio em hospitais públicos e privados, em janeiro deste ano.

Para a deputada Nejmi, chama a atenção a forma discreta com que Paulo Gustavo sempre realizou filantropia pelo país e doou ao Amazonas sem fazer qualquer alarde. “Paulo Gustavo fez um ato nobre em favor da nossa população amazonense, mas também nos presenteou com a alegria e o sorriso que seu eterno personagem “Dona Hermínia” trouxe para dentro dos lares, inclusive ajudando as pessoas a enfrentar o preconceito e as dificuldades da vida com humor e posicionamento inovador para as artes. Foi além de um recorde de bilheteria e se mostrou um ser humano iluminado e cheio de virtudes que agora sugiro o reconhecimento”, destacou Nejmi.

A proposta do PL que confere o título à Paulo Gustavo segue em processo de tramitação na ALE-AM e deve ser votado em breve. O ator ficou conhecido pelo monólogo Minha Mãe É uma Peça, o qual, em 2013, virou um longa-metragem e o filme mais assistido no Brasil.

Em 2015, foi publicado como um livro pela editora Objetiva. Devido ao enorme sucesso de crítica e público, em 2016, foi lançado Minha Mãe é uma Peça 2, e, em 2019, Minha Mãe É uma Peça 3. Indicado ao Prêmio Shell de Melhor Ator, Paulo Gustavo formou-se na Casa das Artes de Laranjeiras (CAL) no início de 2005, junto com Fábio Porchat, Marcus Majella, entre outros artistas consagrados.

Paulo Gustavo morreu em 4 de maio de 2021, de complicações de COVID-19, após ser internado, em 13 de março, em um hospital da Zona Sul do Rio de Janeiro.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •