Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Governo do Estado acatou a proposta de indicação apresentada pelo deputado Sinésio Campos (PT), na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), para que seja oferecido atendimento médico e ambulatorial nos municípios do Estado, aos servidores da Secretaria de Educação e Desporto do Amazonas (Seduc) que são usuários do plano de saúde oferecido pela Hapvida mediante convênio firmado com o Governo do Amazonas. O serviço começará a ser oferecido a partir do dia 5 de outubro em 11 cidades polos do interior.

A decisão foi anunciada pelo governador Wilson Lima (PSC), por meio de plataforma digital, na manhã da sexta-feira, dia 28, transmitida do Centro de Mídias de Educação do Amazonas, na sede da Seduc. O ato teve a participação do secretário de Educação, Luis Fabian Barbosa, dos deputados estaduais Alessandra Campêlo (MDB), Adjuto Afonso (PDT), Mayara Pinheiro (PP), e Terezinha Ruiz (PSDB), além de representantes da empresa Hapvida.

 O governador Wilson Lima disse reconhecer que essa era uma luta que vinha sendo travada há anos pelo deputados, sobretudo de Sinésio Campos para que os servidores da Seduc não precisassem ter de se deslocar a Manaus para ter a cesso ao atendimento do plano de saúde. O governador garantiu que a partir dessa data os servidores poderão agendar consultas médicas, ter atendimento em clínicas e laboratórios.  A Hapvida montará uma estrutura para prestar os serviços nas cidades polos. “Firmado o compromisso para atender o pleito da categoria a partir de 5 de outubro, os servidores e professores passam a ter atendimento em 11 municípios que serão divulgadas pela Seduc”.

O deputado Sinésio Campos, disse que na condição de vice-presidente da Comissão de Educação da Aleam, e de professor das redes estadual e municipal de educação, parabenizava a decisão política do Governo do Estado, por meio da Seduc, e a empresa Hapvida pela iniciativa de investir no atendimento nos municípios. Ele lembrou que esta cobrança vinha sendo feita desde 2018, quando apresentou essa mesma proposta de convênio. “Contudo, como não obtinha resposta houve momentos de tensão na busca por solução da ausência de atendimentos nos municípios. Mas acabou prevalecendo o diálogo que permitiu a conquista dos trabalhadores da educação”.

Sinésio Campos ressaltou que durante quatro anos de embate, para solucionar a ausência dos serviços, o deputado apresentou propostas, na forma de nove requerimentos à Mesa Diretora da Aleam para o encaminhamento de indicações ao Governo do Estado solicitando que fossem firmados convênios com clínicas particulares com o intuito de obter a prestação do serviço de assistência médica hospitalar e ambulatorial ao plano de saúde Hapvida nos municípios do Estado para atender aos usuários servidores públicos da educação.

O parlamentar também ressaltou que a empresa, que tem cerca de 320 mil clientes no amazonas, dos quais 30 mil são da Seduc, deverá ter retorno com o investimento em estrutura nos municípios e crescer no Amazonas. “A empresa saiu na frente dos demais planos de saúde. Trata-se de um olhar diferenciado que demonstra responsabilidade social. Um gesto ousado de investimento a partir da compreensão da empresa sobre a reivindicação de 15 mil trabalhadores dos municípios”.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •