Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O parlamento estadual amazonense esteve representado no primeiro dia de atividades da 24ª Conferência da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), pelos deputados Sinésio Campos (PT), Adjuto Afonso (PDT) e João Luiz (Republicanos). A conferência acontece no Centro de Eventos Bosque Expo, em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul.

Nesta quarta-feira, antes da abertura oficial, 14 eventos simultâneos de entidades legislativas, com o intuito de buscar o desenvolvimento e a melhoria da atuação do serviço prestado nos estados.

Entre eles, esteve a reunião do Parlamento Amazônico, colegiado formado por deputados estaduais dos nove estados que compõem a Amazônia Legal Brasileira: Amazonas, Acre, Amapá, Roraima, Rondônia, Pará, Mato Grosso, Tocantins e Maranhão.

Sinésio Campos se despediu da presidência que passa a ser ocupada, no biênio 2021/2022 pela deputada estadual Edna Auzier (PSD/AP), aclamada por seus pares. Ela será a primeira mulher a presidir o órgão.

Em seu último pronunciamento como presidente, Sinésio falou sobre as experiências exitosas vivenciadas pela Assembleia do Amazonas, no último ano, como a instalação da CPI da Amazonas Energia. “Percebemos que na grande maioria dos estados da região também existe irregularidades na gestão das concessionárias de energia e o fato de estarmos fazendo uma CPI motivou outros estados também a fazerem o mesmo, como no Amapá”, explicou.

Ele também falou sobre licenciamento ambiental, o passivo ambiental, bem como sobre as emendas impositivas individuais e de bancada. “O que está acontecendo no Amazonas depois de muito tempo estamos vendo as emendas impositivas sendo pagas. E essa experiência exitosa estamos passando para cada estado”, adiantou.

Ele também fez um balanço de sua atuação e desejou sucesso à sua sucessora. “Estou deixando dinheiro em caixa e um legado que agora podemos falar uma linguagem única porque as pautas são comuns, são os mesmos clamores. Quem deve falar sobre a Amazônia e clamar pela Amazônia, somos nós que moramos nela”, disse.

A nova presidente do Parlamento Amazônico agradeceu a eleição e considerou a missão um grande desafio, principalmente por ser um momento pós-pandemia. “Quero dizer a todos que votaram em mim, dos nove estados da Amazônia, que darei o máximo. Estaremos fazendo um trabalho nos estados, fortalecendo o parlamento da nossa região porque sabemos a necessidade que nós temos na Amazônia, de desenvolver os estados”, destacou.

Mercosul

Ex-presidente da Unale, o deputado Adjuto Afonso (PDT/AM) destacou a importância da troca de experiência entre parlamentares e servidores das casas legislativas brasileiras na 24ª. Conferência da Unale. No primeiro dia de atividades, participou da reunião do Bloco Brasileiro da União de Parlamentares Sul Americanos e do Mercosul (UPM), do qual é secretario-geral.

A entidade, fundada em 2001, coordena as atividades de deputados estaduais brasileiros em assuntos que dizem respeito ao Mercado Comum do Cone Sul. O bloco brasileiro é presidido pelo deputado catarinense Ivan Naatz (PL/SC). O presidente da UPM é o senador argentino Emiliano Lasara Reparaz. “Fizemos uma reunião muito importante hoje e pretendemos ano que vem para os países do Mercosul, levar o que podemos exportar e ver o que podemos trazer para gerar renda para nossa população”, explicou Adjuto.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •