FOTO: Divulgação/Amazonastur
Compartilhe

A regulamentação da pesca esportiva e amadora no Amazonas foi tema de audiência pública, promovida pela Câmara Municipal de Presidente Figueiredo (a 117 quilômetros de Manaus). Técnicos da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) participaram da audiência, que contou com a presença de pescadores, prestadores de serviços turísticos, Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), instituições públicas e privadas, além da Federação Amazonense de Pesca Esportiva (Feampe).

A audiência foi uma propositura do vice-presidente da Câmara de Presidente Figueiredo, vereador Ronaldo Macarrão. O presidente da Amazonastur, Sérgio Litaiff Filho, participou do evento e pontuou que a regulamentação da atividade busca garantir maior investimento do setor público e privado para o setor, além de potencializar o investimento econômico e social do município.

“A audiência tem realmente esse objetivo de esclarecer, ponto a ponto, todo e qualquer tipo de dúvida que haja em relação às três espécies de tucunaré que nós propomos a conservação; a tudo aquilo que realmente vá gerar de emprego e renda, vá fomentar o turismo no município de Presidente Figueiredo e, claro, em todos os municípios que têm a vocação para o turismo de pesca esportiva”, disse Sérgio.

O Presidente da Comissão de Turismo, Fomento e Negócios da Aleam, deputado Tony Medeiros, autor do Projeto de Lei 422/2021, que visa a regulamentação da pesca esportiva e amadora no Amazonas, destacou que o projeto vai contribuir para a mudança de vida das comunidades. “É mais uma alternativa econômica, que vai poder melhorar a qualidade de vida e dar oportunidades de desenvolvimento à sociedade”, disse Tony Medeiros.

Litaiff ressaltou, ainda, que o próximo passo é dialogar com outras comunidades e municípios, os quais também têm a vocação natural do turismo de pesca esportiva para, posteriormente, colocar o PL em votação.

O presidente da Federação Amazonense de Pesca Esportiva (Feampe), Carlos Serfaty, saiu do evento entusiasmado. “Fico feliz, porque a classe artesanal também está a favor da regulamentação do turismo da pesca. Em Balbina, o presidente do sindicato, a favor da regulamentação do turismo para a cidade de Presidente Figueiredo e para o lago de Balbina. Isso é sinal de que o trabalho está sendo feito da forma certa”, disse Carlos.


Compartilhe