Compartilhe

Quatro estados da Região Norte levaram para a casa os troféus da principal mostra do 4º Olhar do Norte Festival, que teve a cerimônia de encerramento, na última segunda-feira (24), no Teatro Amazonas, em Manaus (AM). No total, o festival concedeu 13 prêmios aos filmes participantes de edição de 2022.

Dedicado ao cinema amazônico, o Olhar do Norte teve representantes de todos os Estados da Região Norte nesta edição. “Queremos fazer um agradecimento especial a todos os representantes dos filmes dos outros estados que vieram pra cá, e tornam o festival muito mais abrangente, essa troca de ideias e experiências é muito rica e importante”, destacou Diego Bauer, coordenador do Olhar do Norte. O produtor executivo, César Nogueira, destacou que o festival gerou 43 empregos diretos e outros 48 indiretos. “É uma honra e uma responsabilidade muito grande gerar emprego e renda com cultura em um período tão incerto e difícil para o nosso país e a nossa cidade”, disse.

O prêmio de Melhor Filme pela escolha do público foi  para“Rabiola”, de Thiago Briglia, representante de Roraima. A produção também levou para casa os troféus de Melhor Atuação para a atriz venezuelana Ixemar Camacho, e Melhor Roteiro para Thiago Briglia e Elder Torres. “Toda equipe merece, mas esses prêmios representam um trabalho de anos do Thiago [diretor] em tentar fazer com que as pessoas se unam, em fazer articulação política e diplomática na nossa região. Sem isso, esses prêmios não estariam acontecendo”, ressaltou Elder Torres, que esteve presente no palco do Teatro Amazonas.

300x250tce

Único representante do Amapá na Mostra Norte, “Utopia” conquistou o principal prêmio da noite: Melhor Filme pela escolha do júri, formado por Aldemar Matias, Dheik Praia, Elaíze Farias, Flávia Abtibol e Francis Madson. O curta-metragem de Rayane Penha mostra a busca de uma filha por histórias vividas pelo pai garimpeiro que faleceu no garimpo, numa proposta de humanizar os homens trabalhadores desses lugares. “Eu estava muito emocionada de pensar nesse momento do filme sendo exibido na mostra, no Teatro Amazonas, isso foi muito significativo, mexeu muito comigo. E poder agora ser premiada, é uma felicidade imensa”, disse a diretora, em vídeo transmitido durante a premiação.

O Amazonas levou quatro prêmios e o Pará outros três troféus. A Mostra Norte, formada exclusivamente por filmes realizados nos sete estados integrantes da Região Norte e/ou por diretores desses estados, distribuiu 11 prêmios, incluindo uma menção honrosa para o filme amazonense “Atordoado, Eu Permaneço Atento”, dos diretores Henrique Amud e Lucas H. Rossi dos Santos. Já a Mostra Outros Nortes, formada por filmes de outras regiões do País, concedeu o prêmio de Melhor Filme para “Chão de Fábrica”, de Nina Kopko (SP) e duas menções honrosas: para “República” (SP), da diretora Grace Passô e “Trovão sem Chuva” (MT), do diretor Bruno Bini. O júri foi formado por Camila Henriques, Danilo Areosa e Pâmela Eurídice.

Críticas especializadas de todos os filmes integrantes do festival estão disponíveis no site do Cineset (www.cineset.com.br). A quarta edição do Olhar do Norte Festival é uma realização da Artrupe Produções, com parceria do Cineset, e foi contemplada pelo Programa Cultura Criativa – 2021/AM – Prêmio Amazonas Cultura em Rede, realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa. O festival teve o apoio cultural da Santa Cláudia e RM e Arte Impressa.

PREMIAÇÃO DO JÚRI – OLHAR DO NORTE

Melhor Filme – Júri: “Utopia”, de Rayane Penha (Amapá)

Melhor Filme – Prêmio do Público: “Rabiola”, de Thiago Briglia (Roraima)

Melhor Direção: “Benzedeira”, de Pedro Olaia e San Marcelo (Pará)

Prêmio de Atuação 1: Ixemar Camacho, de “Rabiola” (Roraima)

Prêmio de Atuação 2: Manoel Amorim (Maria do Bairro), de “Benzedeira” (Pará)

Melhor Roteiro: Thiago Briglia e Elder Torres, de “Rabiola” (Roraima)

Melhor Direção de Fotografia: Luana Peixe e Rodrigo José, de “Meus Santos Saúdam Teus Santos” (Pará)

Melhor Direção de Arte: Humberto Rodrigues, de “Stone Heart” (Amazonas)

Melhor Montagem: Felipe Rodrigues, de “Graves e Agudos em Construção” (Amazonas)

Melhor Som: “Mestres da Tradição na Terra do Guaraná” (Amazonas)

Menção Honrosa: “Atordoado, Eu Permaneço Atento” (Amazonas)

MOSTRA OUTROS NORTES

Melhor Filme: “Chão de Fábrica”, de Nina Kopko

Menção Honrosa: “República” e “Trovão sem Chuva”


Compartilhe