Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Justiça do Rio de Janeiro não conseguiu intimar a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) sobre a decisão determinando que ela seja monitorada por tornozeleira eletrônica. De acordo com o jornal O Globo, por conta disso, a juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, determinou que a parlamentar seja intimada da decisão em Brasília (DF).

Na terça-feira (22), Flordelis estava em seu apartamento funcional na capital federal. Ela foi ouvida pelo corregedor da Câmara dos Deputados em processo disciplinar aberto contra ela. A parlamentar é acusada pelo Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) de ser mandante do assassinato do próprio marido, o pastor Anderson do Carmo. O pastor foi morto a tiros em 16 de junho de 2019 na porta de sua casa, em Niterói (RJ). A deputada nega envolvimento no crime.

Na decisão de sexta-feira (18), a Justiça do Rio determinou que a parlamentar passe a ser monitorada e fique em recolhimento domiciliar das 23h às 6h. Ao O Globo, o advogado de Flordelis, Anderson Rollemberg, informou que sua cliente só vai se apresentar à Seap após o julgamento do habeas corpus no qual a defesa tenta derrubar a decisão judicial. Os advogados entraram com o habeas corpus na terça-feira (22) na 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio, mas ainda não houve decisão.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •