Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Fundação Alfredo da Matta (Fuam), com o intuito de organizar ideias e propostas para melhoria na gestão, implantou em 2020 um banco de projetos, instrumento inovador na instituição para a captação de recursos financeiros. Já desde o ano passado, a instituição vem utilizando a dinâmica de trabalho da ferramenta, o que já gerou bons resultados, garantindo cerca de R$ 2 milhões em recursos oriundos de emendas parlamentares para o orçamento da Fuam.

Os valores são destinados a projetos que vão desde a aquisição de medicamentos e equipamentos para a área de fisioterapia até projetos importantes como a digitalização de prontuários de pacientes.

“Iniciamos nosso banco de projetos com as emendas parlamentares, trazendo mais recursos para a instituição, e no ano passado fomos muito felizes com nossas emendas: das propostas apresentadas, fomos contemplados com três emendas muito boas. Uma delas, por exemplo, vai garantir nosso abastecimento de medicamentos e materiais de laboratório até maio do próximo ano”, explica a chefe do Departamento de Planejamento, Orçamento e Finanças da Fuam, Maria Leide Barbosa, referindo-se a emenda parlamentar no valor de R$ 1 milhão, que nasceu de um projeto apresentado pela Fuam.

Elaboração dos projetos – Segundo Maria Leide, com a percepção das oportunidades que as emendas parlamentares impositivas podem gerar para instituições públicas na área da saúde, evidenciou-se a necessidade de ter projetos bem elaborados e estruturados de acordo com os critérios estabelecidos para que uma instituição pleiteie o recurso desta fonte.

Partindo deste ponto, a equipe de planejamento propôs a implantação de um banco de projetos que reunirá as principais demandas da instituição em forma de projetos, prontos para serem apresentados a possíveis parceiros e financiadores.

“Solicitamos dos setores um levantamento das reais necessidades de cada unidade, assim cada área técnica desenvolve um projeto com objetivos e justificativa e o encaminha ao banco de projetos. A partir daí nós fazemos uma triagem do que é possível, reestruturamos, se necessário, desenvolvemos uma boa justificativa técnica e, no caso das emendas, conforme inicia o prazo de apresentação aos parlamentares, o diretor-presidente apresenta a eles as propostas”, explica Maria Leide.

Com o banco de projetos, espera-se identificar boas ideias que atendam às necessidades da instituição, potencializando as chances de financiamento.

Os recursos de emendas parlamentares em favor da Fuam irão viabilizar ainda a implementação do Sistema de Gestão Eletrônica de Documentos (Siged) e do prontuário eletrônico em toda a instituição, com a aprovação de R$ 302 mil em verbas para a aquisição de computadores e servidor para a rede de informática, com novas máquinas para equipar recepções e consultórios.

Os recursos, de acordo com Maria Leide, vão “viabilizar a proposta de informatização da Fundação, eliminando a circulação de papel, gerando economia e rapidez nos processos”. “Compromisso assumido pela atual gestão e que vem ao encontro da implantação do Siged pelo Governo do Estado”, finaliza.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •