Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) recebeu, na tarde de terça-feira (04/02), a visita da comitiva formada por representantes da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) Brasília e do representante do Centers for Disease Control and Prevention (CDC), órgão americano responsável por investigar doenças infecciosas. A visita faz parte do projeto que a Fiocruz realiza em parceria com a Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) e o apoio-científico do CDC Atlanta, que tem como objetivo o fortalecimento da rede laboratorial de saúde pública no país, com o foco para atendimento às emergências.

Segundo a coordenadora do projeto, Mariana Verotti, a visita ocorreu em outros dez laboratórios de saúde pública espalhados no Brasil, porém o Amazonas tem particularidades. “Nós estamos em plena execução do projeto, conhecendo as realidades locais. No entanto, era preciso incluir o Amazonas, que é o único Estado do país que reúne em uma fundação de saúde todas as vigilâncias: a ambiental, sanitária, epidemiológica e a laboratorial”, avaliou Mariana.

A diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, informou que a visita é uma oportunidade de troca de experiência especializada. “O CDC é um órgão reconhecido mundialmente pela competência em enfrentamento de doenças e agravos de interesse à saúde pública. A sua presença aqui significa o reconhecimento da FVS e do Lacen na condução das ações executadas em situações de emergências na saúde”, avaliou.

A comitiva é formada pelos técnicos da Fiocruz-Brasília, Mariana Verotti, Thais Minuzzi e Maria Helena Cunha e do CDC, Leonard Peruski, que permanecem em Manaus até sexta-feira (06/02) em imersão durante todo o dia no Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen-AM) da FVS.  

Referência nacional – O Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen-AM), da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), foi habilitado pelo Ministério da Saúde (MS) como o terceiro maior laboratório de referência em diagnóstico de tuberculose e de micobacterioses não tuberculosas do País.

A chefe de Departamento do Lacen-AM, Tirza Matos, explica que compete ao Laboratório executar investimento tecnológico, desenvolver estudos, diagnósticos e pesquisas, de forma articulada com as sociedades técnico-científicas sem fins lucrativos e com centros de pesquisa e desenvolvimento. “Essa visita técnica-cientifica é essencial para promover e realizar ações de educação permanente com essas organizações renomadas internacionalmente, sempre buscando a melhoria dos serviços”, disse.

Atuação – O Lacen-AM já atua como vigilância em laboratório nas doenças de notificação compulsória, análises de produtos, na área ambiental e água de consumo humano.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •