Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A vereadora Glória Carratte (PL) mobilizou a sua família e, juntos, aproveitaram o final de semana para levar solidariedade aos familiares de pacientes internados com a covid-19, que aguardam do lado de fora dos hospitais de Manaus, e, também aos profissionais de saúde, que enfrentam uma jornada estressante, desde o agravamento da doença e do desabastecimento de oxigênio.

Na manhã do domingo (17/1), a vereadora e seus familiares, distribuíram sopa nos Serviços de Pronto Atendimento (SPA) Joventina Dias e Alvorada, no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) 28 de Agosto e na Unidade Básica de Saúde (UBS) Nilton Lins. A distribuição de sopa já é algo rotineiro, na vida da parlamentar, mas neste final de semana ganhou uma motivação especial.

“É uma forma de aliviar toda a tensão causada pela situação e de trazer conforto a esses familiares que esperam notícias de seus entes queridos. Percorremos vários hospitais e foi gratificante ver que vários grupos estão se mobilizando para ajudar”, disse Glória Carratte.

Mais de trezentas pessoas foram beneficiadas pela ação. “Toda a equipe estava com o Equipamento de Proteção Individual (EPI). “Como é algo que já fazemos, reforçamos ainda mais a segurança e higiene. Não podemos baixar a guarda e devemos evitar a contaminação ao máximo“, recomenda Glória Carratte. A distribuição da sopa continua nesta segunda-feira (18/1).

Vacina

A equipe recebeu a notícia do início da vacinação no final da ação social. Para Carratte, a imunização é essencial para combater o coronavírus e evitar mais contaminações e mortes.

“É uma vitória de quem batalhou na vida, de quem enfrentou o impossível por ela e de quem a defende. É emocionante”, ressaltou Glória Carratte sobre a enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos. Ela foi a primeira pessoa vacinada, fora dos estudos clínicos, no Brasil.

Mulher, negra, do grupo de risco e na linha de frente de combate à doença, atuando no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo, Calazans após ser vacinada, garantiu que a vacina é segura. “Falo com segurança e propriedade, não tenham medo”, disse.

Ao todo, 112 profissionais da saúde foram vacinados no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •