Reprodução
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Polícia Federal informou, nesta quarta-feira (23/9), que a investigação contra empresários, políticos e familiares que tentaram furar a fila da vacinação contra a Covid-19, em Belo Horizonte, concluiu que os envolvidos caíram em um golpe.

A informação foi confirmada à CBN, por investigadores que estão à frente do caso. De acordo com a rádio, o material aplicado nos indivíduos não era vacina. O componente mais provável era soro fisiológico, mas isso ainda não foi comprovado.

O caso completa seis meses nesta quinta-feira (24/9). A Polícia Federal está na fase final do inquérito, devendo entregar os resultados em breve.

A tentativa de vacinação clandestina, registrada em 23 de março, foi organizada em uma garagem de ônibus na capital mineira. Cada dose do “imunizante” foi comprada por R$ 600. Durante esse período, apenas profissionais da saúde e estavam sendo vacinados. Com informações de Metrópoles.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •