Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Natural do Pará, o professor José da Silva Seráfico de Assis Carvalho foi homenageado pela Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), nesta quinta-feira, 25, com o Título de Cidadão do Amazonas. O deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) é o autor da propositura.

Seráfico, ícone da Ufam (Universidade Federal do Amazonas), chegou a Manaus em 1966, onde formou família e constituiu carreira.

“Nós temos que reconhecer os méritos de quem tem. O professor Seráfico dedica-se à Universidade Federal, ao Amazonas, há pelo menos 55 anos. Ele chegou aqui em 1966 e daqui não saiu mais, portanto, ele já é amazonense de fato, hoje ele se torna amazonense de direito”, disse Serafim.

O homenageado, em entrevista, disse que sua vida dedicada ao estado, em especial à educação, dá o testemunho de que a concessão do Título de Cidadão do Amazonas é uma homenagem justa.

“Eu costumo dizer que amigos são aquelas pessoas que ignoram os nossos muitos defeitos e amplificam as nossas virtudes que nós não temos. Quando uma pessoa chamada Serafim, que era estudante quando eu estava na Universidade como professor, propõe meu nome para receber o Título de Cidadão Amazonense, e me conhecendo bem, ele deve ter sido inspirado, sobretudo, pelo fato de que ele me viu como amazonense muito antes de chegar ao parlamento e, eu me vi assim sempre. Em texto publicado em A Crítica nesta quinta-feira eu digo que está sendo apenas oficializada uma cidadania que eu já havia assumido. Creio que minha vida dê o testemunho disso, então me sinto perfeitamente à vontade pela natureza de quem propõe a homenagem, pela conduta de quem propõe a homenagem e pela sensibilidade que tem de distinguir entre aqueles que têm o compromisso com a sociedade e o povo e não outros compromissos”, declarou Seráfico.

Filho de José Seráfico, o também professor Marcelo Seráfico avaliou que a homenagem é justa por reconhecer alguém que é um cidadão exemplar na conduta da vida privada e pública.

Tudo que eu disser sobre ele (José Seráfico) é suspeito, mas posso dizer como filho que experimentou as palavras e os exemplos, e ainda experimenta dele como pai e como pessoa pública, portanto uma pedagogia que permitiu a mim uma certa inserção de um afeto privado, mas também um tipo de escolha na participação da vida pública do município, do estado. A homenagem é justa, não pelo fato de ser meu pai, mas por considerar meu pai um cidadão exemplar na conduta de sua vida, não apenas privada, mas fundamentalmente pública”, falou Marcelo. 

Diretora-presidente da Fapeam (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas), Márcia Perales destacou a atuação de José Seráfico como professor de nível superior.

É uma homenagem muito justa por tudo que o professor Seráfico tem feito na área de educação em nível superior. Ele dirigiu a FES (Faculdade de Estudos Sociais), na Ufam, e formou muitos profissionais. Ele continua ativo, continua com blog, continua publicando, continua instigando, continua sendo uma referência para todos nós. Que bom que essa homenagem veio em vida para que ele possa celebrar junto conosco. 

Biografia de José Seráfico

JOSÉ da Silva SERÁFICO de Assis Carvalho nasceu em Belém, PA, em 23-04-1942.

1965 – Formatura em Direito na Universidade Federal do Pará-UFPA.

1966 – Transferiu-se para Manaus. Veio para passar 15 dias na capital amazonense, mas razões políticas, primeiro; sentimentais, depois, resultaram em sua opção por viver na cidade e nela constituir família.  1968- Casamento, com a então acadêmica de Medicina MARIA DA GRAÇA BASTOS.

1968 – Professor da UFAM, aposentado como Titular, em 1995.

1970  e 1973 – Nascimento dos filhos MARCELO e GUSTAVO. O primeiro professor da Universidade Federal do Amazonas e o segundo Analista Judiciário da Justiça Federal.

1968-2014 – Organizações públicas a que esteve vinculado: Comissão de Desenvolvimento Econômico do Amazonas – CODEAMA; Secretaria de Saúde do Estado do Amazonas- SESAU; Superintendência dos Serviços Médicos do Interior do Amazonas – SUSEMI-AM; Secretaria da Fazenda – SEFAZ/AM, Secretaria de Administração de Manaus-SEMAD) e particulares Associação de Crédito e Assistência Rural do Amazonas- ACAR-AM; Mendes Publicidade Ltda; Instituto Euvaldo Lodi-AM; Fundação Amazônica de Defesa da Biosfera- FDB. Dirigiu de 1971-1973 o Centro de Estudos e Pesquisas Sócio-Econômicas – CEPESE, da UFAM. De 1985 a 1989 foi Diretor da Faculdade de Estudos Sociais e Faculdade de Direito.

Atividades jornalísticas (1971…): A CRÍTICA – editorialista por mais de 20 anos, parte de suas atividades na imprensa, à que se junta a condução de programa (Um Mundo Novo) de entrevistas na televisão da Rede Amazônica.

Membro de órgãos coletivos: Conselhos Estaduais de Meio Ambiente e Tecnologia; Entorpecentes; Educação e o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República.

Até 2014 manteve atividades de direção, assessoramento e acadêmicas, entregando-se depois às atividades literárias. Nesse percurso – 1992-2021, escreveu livros memorialísticos (Memórias Talvez Precoces; Mais um Pedaço; As Casas que Moram em Mim; Nosso pai João Seraphico); didáticos (Como Funciona a Administração; Métodos e Técnicas de Pesquisa Aplicados à Administração); ensaísticos (A propósito de Ciência e Pesquisa; O desafio Amazônico; Do ABC ao Planalto-Sonhos e frustração; Sete Mentiras Capitais); e literários (A República dos Anões; Aleivosias Poéticas; Veleidades Poéticas).


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •