Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Olá Navegantes!

Tá tudo bem do lado daí? Como está a correria de vocês? Fiquem à vontade, nossa conversa vai ser bem rápida, eu prometo. Então partiu? Partiu conversar sobre um tema pesado de forma leve? O tema de hoje é a campanha Junho Violeta, que tem por objetivo a conscientização sobre a violência contra a pessoa idosa.

Mais comumente se fala sobre a violência contra crianças e contra mulheres, porém em bem menor foco midiático está a violência contra a pessoa idosa. Eu posso afirmar para vocês que conheço de perto essa triste realidade e ela é bem mais presente em nossa sociedade do que imaginamos. Em todas as minhas experiências profissionais como servidora pública me deparei com situações que envolviam violência contra pessoa idosa, seja física, psicológica ou financeira, assim como presenciei diversos casos de negligência.

Muitos idosos são marginalizados pela sociedade e ficam isolados em casa, muitas vezes num quarto não adaptado para suas necessidades, a maioria com uma condição médica que requer cuidado e atenção. Já atendi em visitas domiciliares idosos vítimas dos mais diversos tipos de violência, e o que é mais inacreditável, essas violências geralmente eram praticadas por pessoas da própria família.

Para não ficar ainda mais pesado o tema de hoje, decidi que seria melhor não adentrar em detalhes sobre as violências sofridas pelos idosos. Meu foco aqui hoje é alertar você para ter um olhar mais atento para essas tragédias silenciosas que ocorrem todos os dias nos lares brasileiros. “Devido ao aumento da maldade, o amor de muitos esfriará” Mateus 24:12. Um sinal do fim dos tempos? Creio que sim. Não encontro outra razão para tanta maldade com essa classe de pessoas senão a falta de amor.

Idosos são vítimas dos mais diversos golpes, assim como empréstimos tendenciosos. Sofrem violência e descaso pela família e até mesmo pelos cuidadores. Muitos se encontram abandonados dentro do seu próprio lar, morrendo dia após dia por falta de alimentos ou por falta de amor e afeto. Onde buscam ajuda encontram indiferença, onde esperam receber apoio encontram falsidade, engano.

Mas o que fazer diante de tudo isso? Como podemos ajudar essa parcela significativa da população? Como podemos tornar a sociedade em que vivemos um lugar onde o amor ainda aqueça corações? De acordo com o Artigo 10 do Estatuto do Idoso “É obrigação do Estado e da sociedade, assegurar à pessoa idosa a liberdade, o respeito e a dignidade, como pessoa humana e sujeito de direitos civis, políticos, individuais e sociais, garantidos na Constituição e nas leis”.

Enquanto cidadãos, como podemos agir para que esse Estatuto seja cumprido? Quem sabe podemos começar a olhar com mais atenção os idosos em nossa comunidade e intervir quando necessário, contribuindo direta ou indiretamente para que os direitos da pessoa idosa sejam assegurados. Em hipótese alguma devemos ser omissos frente às situações de violações de direitos.

A violação de direitos contra a pessoa idosa pode ser denunciada pelo Disque 100, que é o principal canal de comunicação. Além disso, a denúncia também pode ser feita pelo aplicativo Direitos Humanos Brasil, disponível na Google Play e na App Store. Seja na rua da sua casa, em seu bairro ou no seu círculo de amizades, se notarem algo que comprometa a liberdade, o respeito e a dignidade da pessoa idosa, denunciem!

Faça parte dessa campanha! Curta e Compartilhe, diga não à violência contra a pessoa idosa! #junhovioleta

Syrsjane N. Cordeiro

Psicóloga pelo UNASP – SP, Especialista em Saúde Mental. Já atuou como psicóloga na prevenção e promoção de saúde na atenção básica; na prevenção e promoção de saúde indígena no Alto Rio Solimões; atuou também na área da assistência social, no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e no Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) SUS – Programa Melhor em Casa.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •