Compartilhe

Por Carlos Santiago*

O Brasil atual foi traduzido nos últimos dias pelas manchetes dos principais portais de notícias. Um país desigual, de extrema pobreza e com uma elite pública cheia de privilégios, onde o Amazonas se destaca negativamente com muita miséria e, também, com práticas e vantagens absurdas de autoridades.

TJAM: desembargadores ganharam mais de R$ 200 mil em novembro

“No Tribunal de Justiça do Amazonas – TJAM, 20 dos 26 desembargadores receberam em novembro um contracheque de mais de R$ 100 mil líquidos. Somando todos os magistrados, foram pagos R$ 3,5 milhões líquidos, média de R$ 135,5 mil para cada um no último mês. O subsídio-base dos magistrados é de R$ 35,4 mil.”

Maranhão e Amazonas lideram extrema pobreza no País, indica IBGE

” O Maranhão, que faz parte, parcialmente, da Amazônia Brasileira, e o Amazonas são os Estados da região com a maior proporção da população em situação de extrema pobreza no País. A extrema pobreza no Amazonas era 47%”.

“Cotão” da CMM aumenta de valor em 83%.

“O PL que foi votado em caráter de urgência, altera o valor mensal de R$ 18 mil para R$ 33.086,05. Assim, a Câmara Municipal de Manaus (CMM) terá um custo anual de cerca de R$ 15 milhões.”

No Amazonas, taxa de desemprego chega a 15,6% no segundo trimestre de 2021

” Estado tem a 10ª maior taxa de desocupação do país, onde o desemprego atinge 14,4 milhões de pessoas. Número de empregados por conta própria aumentou, mas o rendimento médio do trabalhador diminuiu em relação ao ano passado.”

Novo salário de vereadores de Manaus custará à CMM mais R$ 2 milhões em 2022.

“Com o aumento do salário deles para R$ 18.991,68, a Casa Legislativa gastará R$ 778.658,88 por mês e R$ 10.122.565,40 por ano, ou seja, R$ 2.110.637 a mais que este ano.”

Novo prefeito e vice de Manaus ganham mais de 50% de aumento nos salários a partir de 2022

“O subsídio mensal do prefeito vai de R$ 18 mil para R$ 27 mil, um aumento de 50%. O subsídio mensal do vice-prefeito, ainda segundo o projeto, vai de R$ 17 mil para R$ 26 mil, um reajuste de 52,9%.”

Após acordo entre parlamentares, relator prevê R$ 4,9 bilhões de Fundo Eleitoral para 2022

“O valor ainda representa mais que o dobro do que foi utilizado em anos anteriores. Após acordo entre parlamentares, o novo Parecer do Orçamento de 2022 prevê um total de R$ 4,9 bilhões ao fundo eleitoral para financiar as campanhas do ano que vem.”

Desemprego e inflação agravam fome e brasileiro faz fila para ossos e pelancas.

“A pobreza extrema, que leva pessoas a buscar os restos, foi acentuada no Brasil durante a pandemia de Covid-19.”

Congresso detém 53% dos investimentos do governo federal

” Em 2021, as emendas parlamentares consumiram 53% da fatia destinada a investimentos no Orçamento federal e em 2022 não deve ser diferente. Dos R$ 44 bilhões previstos no próximo ano para este fim, R$ 21,1 bilhões foram reservados para as emendas parlamentares. Outros R$ 16,5 bilhões virão das emendas de relator.”

Desvio de verba para a Covid-19 pode chegar a R$ 300 milhões, diz CGU

“Verba seria destinada a estados e municípios. Um levantamento da Controladoria-Geral da União aponta que o prejuízo em desvio de recursos para a Covid destinados a estados e municípios pode chegar a R$ 300 milhões.”

 

Diante de tantas manchetes publicadas, que põem a nu a ganância e a falta de ética de homens públicos, revelando o país com velhas práticas políticas, torna-se difícil, a cada dia, viver no Brasil.

Mas, em 2022, ano das eleições gerais, é possível começar a mudar o país. Basta a maioria do povo ter consciência da importância do voto e da necessidade de romper com o Brasil do atraso.

Sociólogo, Analista Político e Advogado*


Compartilhe