O médico anestesista do Hospital Jofre Cohen Daniel Tanaka, acompanhou Amintas em uma longa viagem em UTI aérea de Parintins até a capital paulista
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Intubado, sedado, sob ventilação mecânica. Estável, com parâmetros de ventilação e cardiocirculatórios, função renal preservada. Foi assim que o médico, infectado pela Covid-19, Amintas Júnior, que atende em Parintins, deu entrada na UTI do Hospital São Luiz Unidade Itaim, em São Paulo, no último sábado, 09 de janeiro. Acompanhado pelo médico anestesista do Hospital Jofre Cohen Daniel Tanaka, o cirurgião enfrentou uma longa viagem em UTI aérea de Parintins até a capital paulista.

Dr. Amintas Júnior, que é especialista contratado da Prefeitura de Parintins, do Governo do Amazonas e foi prefeito de Boa Vista do Ramos de 2013 a 2016, reage bem ao tratamento, sob os cuidados da equipe da Dra. Ludhmila Hajjar, uma das melhores cardiologistas do Brasil.

“Ainda é cedo para uma definição mais consistente, mas está estável, sem necessidade de drogas vasoativas, que auxiliam o coração e o vasos sanguíneos a mantê-lo com pressão adequada”, informou Daniel Tanaka, domingo, 10 de janeiro.

O anestesista afirmou que cumpriu com sucesso a missão de conduzir o colega de profissão com segurança ao hospital paulistano.

“Foi uma missão bem complicada, cuidar de um amigo tão próximo assim. Já tivemos outras missões também como a Dr. Renato Menezes, bem complicada e acabou naquele desfecho que a gente já sabe (óbito). Dessa vez, tem que ser diferente, a história tem que ser contada de uma outra forma. Essa é a minha esperança que essa história seja de outra maneira, não seja igual a Dr. Rodolfo Garcia e do Dr. Renato (vítimas da Covid-19). Que o Amintas possa voltar à nossa terra para fazer o que gosta de fazer e faz muito bem que é operar e ajudar no combate a pandemia”, desabafou o médico do Hospital Jofre Cohen.

Para Daniel Tanaka, é sempre uma missão muito nobre poder cuidar de amigos e pessoas queridas. “Mas, ao mesmo tempo, é difícil, é complicada e mexe muito com o emocional. A gente fica com os nervos a flor da pele, mas a gente tem que manter a calma para racionar e tomar as melhores decisões para ajudar a salvar a vida da pessoa que está sob os nossos cuidados. Eu me sinto muito feliz pela missão concluída com êxito. Desejo que Parintins possa enfrentar a pandemia da melhor forma nesse momento mais crítico e vou ficar alguns dias em São Paulo para cuidar do meu pai. Ele vai internar para fazer alguns exames, porque tem um tumor no pâncreas, e vai investigar. Meu pai tem um problema delicado no coração e eu vou me dedicar a essa missão de cuidar dele nesse momento. Depois, volto a Parintins para retomar o enfrentamento à pandemia”, declarou.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •