Foto: Noa Magalhães
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O surgimento no Amazonas de uma facção criminosa que mistura religião evangélica e tráfico de drogas foi denunciado nesta terça-feira (4), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), pelo deputado estadual Fausto Jr. (MDB)

O parlamentar citou uma reportagem de um portal de notícias de Manaus, sobre o crescimento do crime organizado no período de pandemia. Segundo a reportagem, devido à concentração de esforços no combate ao coronavírus e à crise econômica, o setor de segurança pública ficou em segundo plano.

Na avaliação do deputado Fausto Jr. o relaxamento no combate ao crime organizado facilitou o surgimento de uma nova facção, que nasceu no ambiente evangélico.

“A união entre religião e tráfico de drogas era uma hipótese impensável, mas está se tornando realidade no Amazonas”, afirmou o deputado. “É uma união explosiva, que está recrutando jovens no ambiente evangélico e fortalecendo o tráfico de drogas”, denunciou.

Fausto disse que não citará o nome da nova facção para não divulgar o grupo criminoso. “Sou evangélico e frequento a igreja desde criança. Aviso a todos os jovens evangélicos que o tráfico de drogas não é coisa de Deus”, alertou o deputado.

Segundo o parlamentar, as religiões propagam o amor ao próximo, e não o uso de drogas. “Quem atua no tráfico acaba destruindo famílias. Deus não deseja que isso aconteça”, acrescentou.

Fausto sugeriu que a Assembleia Legislativa, por meio da comissão de Segurança Pública, realize uma Audiência Pública para discutir o assunto. Objetivo é encontrar soluções para evitar que a nova facção criminosa se fortaleça no Estado.

Ao final do discurso, o deputado deu um recado aos jovens evangélicos. “Quem atua no tráfico tem dois caminhos. Ou vai para prisão, ou vai para o cemitério”, concluiu.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •