Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O candidato a prefeito de Manaus, Amazonino Mendes, após passar pelo crivo do Podemos em convenção realizada quarta-feira, 16, falou do complexo turístico da praia da Ponta Negra, um projeto de humanização da cidade idealizado, projetado  e nascido no início dos anos 80 no momento que passava pela primeira experiência como prefeito da belle époque.

Considerada como um dos mais importantes point da cidade, a praia da Ponta Negra, segundo Amazonino, é a  única praia de rio permanente da Região Norte em qualquer período do ano.

Antes do novo visual, dotado de completo serviço de bares e restaurantes, além quadras para prática das mais diversas modalidades  esportivas,  além de anfiteatro para shows, entre outros,  a praia não resistia a menor enchente e é sumia imersa nas águas.

“A praia da Ponta Negra orgulha não só do manauara mas, também, todo amazonense”, comemora envaidecido Amazonino.

Segundo o ex-governador desde que foi nomeado prefeito de Manaus pelo então governador Gilberto Mestrinho, o seu maior sonho era transformar  a Ponta Negra  em um grande empreendimento de lazer permanente para a população mais humildes, com espaços de acesso gratuito para a pratica do esporte e do lazer.

Na gestão Amazonino Mendes, o trecho de areia existente no local foi ampliada até atingir 40 metros de largura por 400 metros. O calçadão foi construído com pedras portuguesas ao longo de 600 metros.

A areia que compõe a praia permanente foi dragada dos rios Negro e Solimões, em trechos localizados a 80 quilômetros de Manaus, e levada ao balneário em balsas. Ao todo, foram extraídos 980 mil metros cúbicos de areia, sendo 80% do Rio Negro e os outros 20% do rio Solimões.

Embora existam seis jazidas de areia na capital, a utilização do material local foi inviabilizado pela difícil logística que encareceria o valor da areia. Para levar uma quantidade tão grande de areia para a Ponta Negra, via terrestre, além de elevar o custo, causaria problemas no trânsito e na massa asfáltica onde os caminhões passariam.

Os caminhões de transporte precisariam fazer de 300 a 400 viagens por dia para cumprir o prazo de construção estabelecido.

Com a obra, não ocorrerá mais a inundação no trecho da praia permanente da Ponta Negra, mesmo se o Rio Negro atingir a cota máxima, de 30 metros. Para isso, foram depositados no local cerca de 1 milhão de metros cúbicos de areia. O nível ficou acima da cota recorde de 29,97 metros.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •