Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Polícia Federal está nas ruas nesta terça-feira (29) para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão por desvios na área da saúde do governo do Pará. Há um pedido de buscas no gabinete do governador do estado, Helder Barbalho (MDB). 

O UOL apurou que foram presos Parsifal de Jesus Pontes, atual secretário do Sedeme (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia), Antonio de Pádua de Deus Andrade, secretário do Transporte do Estado do Pará, Peter Cassol Silveira, ex-secretário-adjunto do SESPA (Secretaria de Saúde do Estado do Pará), e Leonardo Maia Nascimento, assessor da Casa Civil.

A operação, feita com o apoio da Polícia Civil de São Paulo, cumpre cerca de 300 mandados em endereços na capital paulista e em Goiás, sendo 76 ordens de prisão preventiva. A maior parte dos pedidos foram assinados por juízes no interior paulista, mas 12 delas foram autorizadas pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Francisco Falcão.

A ação visa desarticular organização criminosa dedicada a desvios de recursos públicos na área da saúde, destinados a contratação de organizações sociais para gestão de hospitais públicos do Pará, entre eles, os hospitais de campanha montados para enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

A PF afirma que a operação busca esclarecer 12 contratos firmados entre o Pará e organizações sociais na área da saúde, que administram hospitais públicos no estado. O valor dos contratos, válidos de agosto de 2019 a maio de 2020, é de R$ 1,2 bilhão, conforme os investigadores.

Os alvos da operação são suspeitos de ter cometido os crimes de fraude em licitações, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •