Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Robert Hoogland, da Colúmbia Britânica, Canadá, foi libertado depois de ter sido sentenciado a mais seis meses de prisão no mês passado, por quebrar a ordem de silêncio e contestar publicamente a prescrição de testosterona à sua filha adolescente.

O pai era contra a medicação da filha que se identifica como trans. Hoogland foi liberado da prisão sob fiança com várias condições, enquanto aguarda a audiência de seu recurso sobre a sentença da prisão de seis meses, após confessar culpa por desacato criminal à ordem do tribunal.

Segundo fontes, os termos de condições são manter a paz e o bom comportamento, continuar trabalhando e não sair da província de British Columbia, além disso ele teve que entregar seu documento de viagem, prosseguindo com o recurso e obedecer as ordem da Suprema Corte.

Igualmente, ele não tem nenhuma permissão para falar direta ou indiretamente, publicar ou transmitir qualquer informação sobre a identidade de gênero da sua filha, saúde física ou mental, ou qualquer assunto relacionado.

Uma tentativa de proteger os jovens contra medicação transgênero

Foi estipulado que no dia 1º de novembro ele deve comparecer ao escritório do xerife no Tribunal de Justiça em Vancouver, ou na data marcada para sua condenação, caso seja marcado antes.

A Rebel News Network pediu para que a Suprema Corte de Vancouver retire a proibição do caso de Hoogland para a mídia, o pedido será ouvido em junho pelo juiz Michael Tammem, o mesmo que condenou o homem, segundo o The Christian Post. (Gospel Prime)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •