Foto: Robervaldo Rocha
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A vereadora Glória Carratte apresentou na Câmara Municipal de Manaus (CMM), o Projeto de Lei Nº 006/2021 que institui a “Campanha de Cuidados com as Doenças Vasculares”, provocadas pela imobilidade prolongada. O PL foi deliberado na segunda-feira (22/2), seguiu para análise da segunda comissão técnica, a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR).

“Além de todos os cuidados relacionados ao novo coronavírus e suas variantes, é preciso lembrar que o isolamento social trouxe outras doenças para o cotidiano. Infelizmente, a interrupção de atividades físicas, o fato de estar muito tempo em uma só posição, conhecido como imobilidade prolongada, tem aumentado o risco das doenças cardiovasculares, especialmente da trombose”, explica Carratte.

A campanha de conscientização, conforme consta do PL apresentado por Glória Carratte, deverá ser feita através de palestras, fóruns e debates em plataformas digitais sendo compartilhada também em veículos utilizados para o transporte público no município.

O Projeto de Lei está tramitando na Casa Legislativa e depois de passar pela CCJR deve voltar ao Plenário Adriano Jorge para as discussões e deliberações dos demais vereadores. Se aprovado e sancionado pelo prefeito David Almeida, a vigência do Projeto de Lei deve durar enquanto perdurar a quarentena provocada pela Covid-19.

Doenças Cardiovasculares e Trombose

As doenças vasculares compreendem uma grande variedade de problemas nas artérias, nas veias e também nos vasos linfáticos, que são os responsáveis por drenar a linfa dos tecidos de todo o corpo, um fluido que, entre outras funções, elimina as impurezas produzidas pelas células durante o metabolismo.

Já a trombose é uma doença vascular causada pela formação de um trombo (ou coágulo) dentro de uma veia que bloqueia, parcial ou totalmente, o retorno da circulação para o coração no segmento afetado. Pode causar complicações como a perda de membros e a embolia pulmonar.

A imobilidade prolongada é um fator de risco para a forma mais grave da doença, a trombose venosa profunda. Ela é comum durante as viagens aéreas e terrestres que obrigam a pessoa a ficar sentada por horas na mesma posição (por isso, ficou conhecida impropriamente como síndrome da classe econômica).   Nos casos de permanência no leito de repouso por doenças ou cirurgias ela pode ser gerada pela Síndrome da Imobilidade que é um conjunto de complicações musculoesqueléticas e viscerais. Lesões nos vasos e desequilíbrio nos fatores de coagulação do sangue também são responsáveis pela formação de trombos.

O único tratamento para a trombose venosa profunda é evitar a formação dos coágulos através da prevenção. E, se eles já se instalaram, promover sua reabsorção pelo organismo. Alguns casos requerem intervenção cirúrgica.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •