FOTO: Divulgação/Seas
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na segunda-feira (03/05), o Governo do Amazonas reabriu os restaurantes e cozinhas populares para o atendimento presencial ao público. Por conta da pandemia, as sete unidades desses equipamentos, que funcionam em Manaus, estavam atendendo seu público alvo como ponto de entrega de marmitas. Agora, as unidades passarão a funcionar com 50% da capacidade de público, garantindo a segurança alimentar e sanitária de seus usuários.

A reabertura de forma presencial foi comemorada pelo público que faz uso do serviço. O aposentado Jorge Valois, de 70 anos, frequenta o restaurante popular há pelo menos uma década. Para ele, a retomada das atividades de forma presencial reafirma o compromisso do governo com quem mais necessita.

“Em tempos como esse, muitos não têm o que comer, ou onde comer. O governador e os servidores estão de parabéns por essa iniciativa. A comida é boa, de excelente qualidade, e o preço contempla a todos, principalmente aqueles que precisam. É uma verdadeira benção ter quem se preocupe em garantir que tenhamos comida”, disse.

Quem também almoça no restaurante todos os dias é a autônoma América Penã, que por trabalhar no Centro, acaba fazendo a refeição na unidade.

“É gratificante saber que temos uma opção prática, de qualidade e acessível aqui. A comida é muito boa, sim, e faz a diferença na vida de quem precisa”, afirmou.

Os atendimentos terão os horários estendidos, passando a funcionar das 11h às 14h para o consumo das refeições.

Os restaurantes e as cozinhas populares fazem parte da política pública estadual de garantia de segurança alimentar e nutricional aos segmentos mais vulneráveis, sob a orientação do governador Wilson Lima. Essas unidades são coordenadas pela Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas), por meio do Departamento de Proteção Social Básica (DPSB/Seas), via Gerência de Ações Descentralizadas de Segurança Alimentar e Nutricional (GADSAN).

A titular da Seas, Alessandra Campêlo, esteve no local para acompanhar o primeiro dia da retomada. Para a gestora, apesar de nunca terem parado as atividades durante a pandemia, atender o público presencialmente garante ainda mais a segurança alimentar de quem necessita.

“O governador Wilson Lima determinou a reabertura. Estamos seguindo todos os protocolos de segurança e higiene, além de garantir a segurança alimentar da população mais vulnerável. Os restaurantes e cozinhas servem uma refeição nutricionalmente completa por apenas R$ 1. Com comida de qualidade, preço acessível e respeito ao distanciamento social, vamos continuar garantindo a segurança alimentar do nosso povo”, disse.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •