Dedei Lobo, prefeito de Humaitá, esteve reunido com garimpeiros que tiveram balsas queimadas em operação da PF (Montagem Fato Amazônico)
Compartilhe

O prefeito de Humaitá, Dedei Lobo (PSC), declaradamente favorável à exploração ilegal de ouro na região do Madeira, prometeu nesta segunda-feira, 29, ressarcir os prejuízos financeiros dos garimpeiros locais que tiveram suas balsas queimadas nos últimos dias na Operação Uiara, deflagrada pelo governo federal.  A informação é do site Metrópoles. (https://www.metropoles.com/brasil/am-prefeito-de-cidade-garimpeira-promete-ressarcir-balsas-queimadas)

Mais do que um incentivo à exploração predatória do rio, o prefeito de Humaitá afronta acintosamente a Polícia Federal (PF), Forças Armadas (FA), Ibama e Ministério Público Federal, responsáveis pelo desmonte do garimpo do Rosarinho e pela garantia da ordem e legalidade na área.

A tresloucada e irresponsável decisão de Delei Lobo foi denunciado pelos próprios garimpeiros presentes na reunião. De acordo com a fonte, ele teria prometido interceder com autoridades estaduais e de Brasília para que a operação da Polícia Federal, Ibama e Forças Armadas não avance, preservando, dessa forma, balsas e demais apetrechos usados na garimpagem.

Até o momento, 131 balsas já foram incendiadas pela Polícia Federal devido a repercussão nacional e internacional da aglomeração de balsas no Rosarinho, cidade ribeirinha de Autazes.

A reportagem do Fato Amazônico entrou em contato com a Prefeitura de Humaitá, para saber a respeito das informações dos garimpeiros de que o prefeito Dedei Lobo, teria prometido pagar àqueles que moram em Humaitá, todo material queimado na ação da PF e Ibama no Rio Madeira, o secretário de gabinete, identificado como Jhonathan, disse que a prefeitura não emitiria nenhuma nota.

Escute o Áudio


Compartilhe