Oficina de Projetos INPA. Foto: Cleomir Santos
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Professores de geografia da rede municipal de ensino participaram da 2ª oficina do projeto “Brincando também se conserva: formação de multiplicadores por meio de jogos educacionais”, na quinta-feira, 26/9. A programação ocorreu no Bosque da Ciência do Instituto de Pesquisa da Amazônia (Inpa), bairro de Petrópolis, zona Sul. O evento contou ainda com a participação de acadêmicos do curso de geografia da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

A formação é resultado da parceria da Prefeitura de Manaus, por meio da Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (DDPM), da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), por meio do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Amazônica (Cepam). O foco do projeto, iniciado ano passado, segue o critério de atender os professores de ciências que trabalham nas escolas próximas a Área de Proteção Ambiental Sauim-de-Coleira, mas também foi aberto para outras unidades de ensino da rede.

O objetivo é contribuir com o processo de formação de multiplicadores ambientais, por meio da utilização de jogos educativos e atividades de interpretação ambiental, com foco nas espécies ameaçadas da fauna amazônica. A primeira oficina foi realizada no início de agosto com os professores de ciências. No último dia 22, as ações atenderam os professores de geografia. Cada oficina tem uma carga horária de oito horas para cada disciplina.

Uma das formadoras de geografia, Debora Mota da Silva de Souza, destacou a parceria com a ICMBio de oferecer uma qualificação dentro de uma temática importante.

“A ideia é que os professores que estão participando da oficina sejam multiplicadores desse projeto para preservação do sauim-de-coleira e evitar que não aconteça a extinção da espécie. A meta é que multipliquem com os alunos do 6º ao 9º ano, para que eles percebam a importância da preservação que só existe aqui na área metropolitana de Manaus”, disse.

De acordo com o analista ambiental da ICMBio, Diogo Lagroteria, o projeto já tem alguns anos, mas a ideia é que ajude a formar multiplicadores para levar a questão ambiental para dentro da sala de aula.

“É um dia de interação com a natureza, a gente desenvolveu uma série de atividades pedagógicas, mas fora do ambiente escolar. Essa troca de experiências entre os professores é muito importante, por envolver diferentes contextos e realidades. A ideia é que os professores voltem para suas escolas e ambientes de trabalho e posam levar algumas propostas pedagógicas de sair do modo tradicional”, comentou.

Ministrando aula para aproximadamente 200 estudantes do 6º ao 9º ano, o professor de geografia Renato Ferreira de Souza, da escola municipal João Alberto Menezes Braga, no bairro Manoa, zona Norte, disse que vai usar todo conhecimento da oficina para trabalhar com seus alunos em sala de aula.

“A temática desse projeto é uma excelente oportunidade para nós professores colocarmos em prática atividades lúdicas e discutir temas atuais, principalmente essa questão ambiental. É excelente essa parceria entre a Prefeitura de Manaus e o ICMBio”, disse.

Outro educador que vai utilizar as informações da oficina com seus 160 alunos, do 6º e 9º ano, é a professora de geografia Sabrina Mendonça, da escola municipal Aristóteles Comte de Alencar, no bairro Armando Mendes, zona Leste. Para ela, a chance é única para realizar atividades pedagógicas na escola.

“A oficina está servindo para esclarecer alguns pontos, que no dia a dia a gente acaba deixando de perceber”, observou Sabrina.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •