Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

No dia 5 de setembro, uma igreja em Purani Basti, em Raipur, na Índia, foi invadida por um grupo de extremistas hindus, incluindo membros do Partido do Povo Indiano (BJP, da sigla em hindi) e outros grupos extremistas hindus. Os extremistas, um grupo composto por cerca de 60 pessoas, acusaram os pastores de converter pessoas ao cristianismo. As informações são de Portas Abertas.

Depois disso, o pastor da igreja, Harish Sahu, dois outros pastores e alguns fiéis foram levados para a delegacia, onde foram agredidos com sapatos pelos extremistas. Após esse incidente, dois acusados foram presos. Em resposta a essa ação, o BJP tem exigido a prisão dos pastores e cristãos, mas o governo de Chattisgarh não prendeu nenhum seguidor de Cristo até agora. 

Isso irritou os extremistas e, em 9 de setembro, uma multidão tentou cercar a Delegacia de Polícia, para protestar contra as prisões. Os manifestantes voluntariamente se deixaram prender a fim de preencher as prisões. Na Índia, essa tática é comum e usada de forma pacífica para protestar contra as autoridades. 

Pelo menos 100 membros do BJP planejam ser presos e preencher as salas das prisões amanhã, dia 17 de setembro. Eles pretendem usar a mesma tápica de se deixarem ser presos para lotar a prisão, como maneira de provocar as autoridades. No dia 18 de setembro, eles vão realizar um comício em 70 alas de Raipu . As alas são uma divisão administrativa da cidade que normalmente elege e é representada por um vereador. 

Mais protestos

Até 8 de outubro de 2021, Bajrang Dal, outro partido extremista, decidiu protestar contra a prisão dos membros extremistas. Desde o mês passado, o BJP vem realizando procissões constantes em diferentes partes de Chhattisgarh focadas nos cristãos. Em cada procissão eles gritam slogans anti-cristãos e fazem longos discursos de ódio contra os seguidores de Cristo.Cada procissão tem uma participação de pelo menos 200-250 pessoas. 

Todos os dias esses grupos de extremistas também estão organizando protestos em diferentes locais importantes do Estado. Eles culpam o atual governo por proteger as atividades de conversão e eles querem ações rigorosas contra os cristãos. Os ataques não estão mais isolados, acontecem abertamente, e os criminosos não temem mais nenhuma ação contra eles. Há uma semana , uma multidão de mais de 100 pessoas supostamente agrediu outro líder cristão. Kawalsingh Paraste, de 25 anos, estava em sua casa no distrito de Kabirdham e eles o acusaram de converter pessoas ao cristianismo.  

Perseguição a cristãos na Índia

A Índia está no top10 da Lista Mundial da Perseguição 2021 e, no décimo lugar, configura como um dos países em que a perseguição a cristãos é extrema. 

Extremistas hindus acreditam que todos os indianos devem seguir o hinduísmo e que no país não deve haver cristãos nem muçulmanos. Eles usam muita violência para atingir esse objetivo, principalmente contra cristãos de origem hindu. Pois são acusados de seguir uma “fé estrangeira” e culpados pela “má sorte” que atinge as comunidades.  

É comum que cristãos ex-hindus sejam atacados fisicamente e às vezes mortos, além de estarem sob constante pressão da família e comunidade para retornar ao hinduísmo. Se eles não se “reconverterem”, podem ser boicotados pela comunidade, resultando em maior vulnerabilidade social. Muitos deles estão isolados e não conhecem nenhum outro cristão. 

Os cristãos são perseguidos em todas as áreas da vida pública e privada, e as leis anticonversão (vigentes em nove estados, com outros considerando a adoção) são utilizadas para assediar e intimidar os cristãos. Poucas pessoas são realmente condenadas sob essas leis, mas os casos podem se arrastar por anos. 

A perseguição na Índia aumentou de modo significativo nos últimos cinco anos e agora permaneceu relativamente inalterada desde o ano passado. A pandemia da COVID-19 ofereceu uma nova arma para os perseguidores, e os cristãos foram excluídos quando o governo distribuiu ajuda emergencial. Isso deixou muitos cristãos desesperados por comida, porque além de perderem as fontes de renda, muitos deles são dalits e, portanto, muito pobres.  

O que a Portas Abertas faz para ajudar os cristãos na Índia? 

A Portas Abertas trabalha com parceiros locais para fortalecer a igreja indiana por meio do fornecimento de ajuda emergencial (equipes de resposta rápida geralmente são as primeiras a chegar no local após ataques violentos), treinamento de sobrevivência à perseguição, distribuição de Bíblias, programas de subsistência e desenvolvimento socioeconômico, e apoio jurídico. 

Você pode ajudar

Além de orar por eles, você pode ajudar de maneira prática, doando para projetos que apoiam cristãos perseguidos. Ao fazer uma doação para esta campanha, você oferece apoio aos cristãos que enfrentam extrema perseguição na Índia por meio de ajuda emergencial, atendimento médico, abrigo, assistência jurídica, entre outros. Fortaleça pastores e líderes cristãos na Índia. Sua contribuição possibilita que eles participem de seminários de preparação para perseguição. Dessa forma, estarão preparados para fazer o evangelho avançar e poderão caminhar com outras pessoas que enfrentam hostilidade por causa de Jesus.

Em resposta à crescente onda de perseguição extremista, a Portas Abertas convida você a apoiar esta campanha global para que a igreja indiana seja apoiada e permaneça viva. Veja como participar neste link


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •