Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou a Rede Record a pagar R$ 52 mil de indenização à advogada Roberta Tafner. Em 2010, a mulher e o marido, Willians de Souza, foram acusados de matar os próprios pais. Conforme a decisão da Justiça, a emissora extrapolou o exercício da liberdade de imprensa ao exibir o momento em que eles foram presos. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Uma equipe da Record acompanhou a polícia na ação, o casal estava dormindo com trajes íntimos no momento da prisão. “A veiculação da reportagem extrapolou a linha do razoável e dos limites da narrativa”, afirmou o relator do processo, desembargador José Rubens Queiroz Gomes.

Na ação, a defesa da Record alegou que não houve excesso ou abuso no direito de informar. Segundo a emissora, a reportagem apresentou “fatos verídicos e sem intenção difamatória”. No entanto, a Justiça não aceitou a argumentação e o pagamento da indenização foi concluído na quinta-feira.

Relembre o caso

O empresário Wilson Tafner e a advogada Tereza Cobra foram mortos a facadas no dia 2 de outubro de 2010 em um condomínio em Santana do Parnaíba, na região metropolitana de São Paulo. De acordo com a polícia, foram encontrados 15 pontos de sangue entre o quarto onde o casal foi morto e a casa da filha, no mesmo condomínio.

O Ministério Público denunciou Roberta Tafne e Willians de Souza. Segundo a acusação, a filha do casal teria ajudado a planejar o crime e limpar os vestígios, já o marido teria aplicado os golpes de faca. A motivação seria a herança das vítimas. Em 2016, o casal, que sempre negou o crime, foi absolvido. Um novo julgamento sobre o caso ainda será realizado.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •