Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O corpo da gestante e manicure Thaysa Campos dos Santos, de 23 anos, vai ser exumado para a realização de novos exames. A jovem foi encontrada morta em setembro do ano passado, em Deodoro, no Rio de Janeiro. As informações são do jornal Extra.

Conforme os primeiros exames feitos pelo Instituto Médico-Legal (IML), apesar de estar grávida de oito meses, a jovem estava sem o feto no ventre. A perícia não identificou vestígios de placenta ou cortes na barriga que pudessem indicar a retirada do feto por ato cirúrgico.

Por conta do estado de decomposição do corpo, encontrado uma semana após o desaparecimento da jovem, o laudo de necrópsia não apontou qual teria sido a causa da morte de Thaysa. A exumação do corpo dela foi autorizada pelo Tribunal de Justiça do Rio e está prevista para ocorrer na semana que vem, provavelmente entre os dias 5 e 6.

De acordo com Nelson Massini, professor de medicina legal da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), ainda é possível encontrar no corpo uma pista que possa ajudar a polícia a descobrir como a grávida foi morta.

“Por exemplo, se tem o osso hioide (osso em forma de u localizado no pescoço) fraturado é um sinal de esganadura. Agora, se houve envenenamento, se ela tiver sido dopada, ou se teve o parto forçado e morreu de hemorragia, isso seria impossível de detectar agora por conta de como o corpo deve estar. A exumação é sempre o último ato para verificar a causa da morte”, explicou Massini ao jornal Extra.

Conforme a Polícia Civil, imagens do local do crime mostram que Thaysa foi abordada por um homem pelas costas nas imediações da estação. Até o momento, o homem não foi preso.

Mãe de duas crianças, a manicure era solteira e estava em sua terceira gestação. O pai do bebê que ela esperava era casado. Ele e a esposa já prestaram depoimento à polícia.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •