Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O número de macacos mortos por febre amarela em Santa Catarina  chegou a 86 neste ano. De acordo com o último boletim epidemiológico da doença, divulgado na quarta-feira (23) pela Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina), o vírus continua circulando no Estado. Com informações de ND Mais.

Em humanos, 17 casos de já foram registrados em 2020, onde duas pessoas morreram. Uma em Indaial e uma em Camboriú. De acordo com o registros, os dois casos eram de homens que não tinham tomado a vacina. 

As mais recentes mortes de macacos foram registradas nos municípios de Apiúna (5), Aurora (1) e Vitor Meireles (1). Os sete animais eram da espécie bugio e tiveram as amostras para exame coletadas em abril passado.

Conforme a secretaria de Estado da Saúde, as novas notificações acenderam um alerta em duas regiões do estado: Serra e Alto Vale do Itajaí, pois comprovam o deslocamento do vírus “pelos corredores ecológicos de SC”.

Casos em primatas ainda são investigados

Entre 28 de dezembro de 2019 até 19 de setembro, 911 casos foram recebidos pela Dive em 78 municípios de Santa Catarina. Neste período, do total, 583 (64%) tiveram a causa do óbito indeterminada; 211 (24%) permanecem em investigação; 31 (3%) apresentaram resultado negativo; e 86 (9%) foram confirmados.

As regiões de saúde do Médio Vale do Itajaí (com 53 casos confirmados) e Planalto Norte (25) são as que apresentam o maior número de ocorrências. Veja a tabela completa aqui.

Humanos

Entre os 17 casos confirmados neste ano, apenas uma paciente era do gênero feminino. A média de idade dos infectados foi de 41 anos e todos os casos ocorreram com pessoas que não tomaram a vacina contra a febre amarela.

Segundo a Dive, até 30 de maio foram notificados 164 casos suspeitos. Destes, 147 descartados. Em julho, mais dez casos em humanos foram notificados, sendo que sete descartados e três em investigação.

Vacina

A vacina é a melhor forma de prevenir a febre amarela. Todas as pessoas com mais de nove meses devem ser imunizadas. A dose está disponível gratuitamente nos postos de saúde de toda Santa Catarina. Na Serra e Alto Vale do Itajaí, a cobertura vacinal está abaixo de 95% do público-alvo, que é a meta recomendada para prevenção de surto pela doença.

“As pessoas que ainda não se vacinaram, devem procurar uma unidade de saúde. É importante lembrar que estamos nos aproximando do período sazonal da doença, momento em que mais epizootias e casos humanos podem ocorrer. Assim, para evitar surtos de febre amarela e óbitos pela doença, a vacina continua sendo a melhor medida de prevenção”, esclarece João Fuck, gerente de zoonoses da DIVE/SC.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •