Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Em nota oficial publicada nesta quinta-feira, o Santos esclareceu os imbróglios com Hamburgo e Huachipato por conta das contratações de Cléber Reis e Soteldo, respectivamente. As dívidas do Peixe geraram punições na Fifa, impedindo o clube brasileiro de registar atletas pelas próximas três janelas de transferências.

De acordo com o Santos, é possível reverter a situação caso as pendências sejam quitadas. No entanto, os valores chegam perto de R$ 50 milhões.

O primeiro transfer ban do Alvinegro é referente ao negócio com o Hamburgo, da Alemanha, por Cléber Reis. Os débitos do Santos no caso, considerando multas e juros, é de aproximadamente R$ 30 milhões.

A punição mais recente se deve à contratação do meia-atacante Yeferson Soteldo. Neste caso, a dívida do Peixe com o Huachipato é de cerca de R$ 18 milhões. De acordo com o Santos, as tratativas estavam avançadas e houve surpresa quando o caso foi parar no Tribunal da Fifa.

Agora, o Santos promete trabalho árduo para quitar as dívidas o quanto antes e evitar a punição imposta pela Fifa.

Confira a nota oficial emitida pelo Santos:

“O Santos Futebol Clube esclarece que a punição imposta pela FIFA, referente a negociações com Hamburgo (ALE) e Huachipato (CHI), será retirada imediatamente após a realização dos pagamentos aos respectivos Clubes. A suspensão de três janelas, portanto, impede o Peixe de atuar no mercado somente enquanto existirem estas respectivas pendências.

A pendência junto ao Hamburgo dura desde o ano de 2017, e é referente a aquisição do jogador Cleber Reis. Esta pendência está sendo tratada desde 2018, devido a pesadas multas e juros. O Santos FC ressalta que trabalha para o devido pagamento e espera solução definitiva.

A pendência junto ao Huachipato, por sua vez, existe desde 2019 e estava em tratativas avançadas de acordo com o executante. O Santos Futebol Clube foi surpreendido com a execução no Tribunal da FIFA. O Clube lamenta e registra que trabalha arduamente em busca das devidas soluções.” (Gazeta Esportiva)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •