Roberto Campos Neto, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, durante cerimônia de transmissão de cargo - Foto - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O deputado Serafim Corrêa (PSB) repudiou nesta quarta-feira (13), a postura dos ministros da Economia, Paulo Guedes, e do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, por manterem empresas offshores em paraísos fiscais mesmo depois de integrarem o governo de sem partido).

Para o parlamentar, o fato de Guedes e Campos Neto optarem em ter empresas sediadas em paraísos fiscais gera insegurança, “pânico no mercado”, e afasta investidores estrangeiros.

O líder do PSB na Assembleia Legislativa disse, ainda, que a situação gera conflito de interesses econômicos porque, enquanto no Brasil o aumento do dólar reflete no aumento da inflação e no bolso do brasileiro, investidores de empresas sediadas em paraísos fiscais lucram mais com a subida do dólar.

“Quero registrar o meu repúdio a esta postura do ministro Paulo Guedes e do presidente do Banco Central. Além do que há um notório conflito de interesses, porque toda vez que o dólar aumenta, e como o dólar tem aumentado no governo Bolsonaro, a inflação aumenta, mas tanto Paulo Guedes como Roberto Campos Neto ganham dinheiro no exterior”, concluiu.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •