Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O deputado Sinésio Campos (PT), na condição de vice-presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) apresentou proposta para que a Comissão e a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade de Ensino do Amazonas (Seduc), com a presença do corpo técnico, realize visitas de fiscalização à escolas estaduais para constatar as providências de prevenção e segurança, pelo Governo do Estado, para o retorno das aulas presenciais a partir de 10 de agosto, na próxima segunda-feira. A sugestão foi apresentada na Sessão ordinária, híbrida, realizada pela Aleam, na manhã desta terça-feira (4).

A proposta foi acatada pela presidente da Comissão de educação da Aleam, Terezinha Ruiz (PSDB), que agendou a visita em duas escolas, a partir das 14h, da tarde de ontem, nas Zonas Leste e Norte de Manaus. O objetivo é de verificar as condições sanitárias e se o governo dotou as unidades com Equipamentos de Proteção Individuais e outras medidas de segurança como o distanciamento entre alunos, pias e painéis com álcool gel, entre outros, para evitar o contágio pela pandemia de Covid-19, que continua fazendo vítimas no Estado e no País.

O Governo Estadual informou que as aulas da rede pública voltarão a acontecer nas unidades de ensino, para os alunos do ensino médio. De acordo com o governo, a decisão foi tomada em parceria com o as entidades de saúde e não colocará em risco a vida dos estudantes. Para poder aplicar as ações de retomada, o governador explicou que os centros só atuarão com 50% da capacidade total de alunos. Além disso, haverá um distanciamento entre as cadeiras e parte deles assistirão as aulas por uma tela de TV e pelas redes sociais. O Governo reforçou ainda que, o plano de reabertura foi desenvolvido com a autorização da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) e que adotará todos os cuidados necessários.

Contudo, o deputado Sinésio Campos, ressaltou a necessidade de comprovação de medidas de segura diante dos riscos de contágio de alunos, professores e servidores. “Como professor entendo que a retomada de aulas presenciais não deve ser objeto apenas de interesses políticos, colocando em risco os alunos, professores, servidores e, até mesmo as famílias destes. Mas também entendo que os estudantes precisam retomar as atividades educacionais para evitar a perda do ano letivo, preparativos ao Enem e outras modalidade. Mas é preciso garantia de segurança”, afirma.

O parlamentar destacou ainda a manifestação dos professores, lideradas por sindicatos da categoria, realizada na segunda-feira (3), em protesto contra o anuncio do governo de retorno às aulas presenciais na semana que vem. “Como professor entendo a preocupação dos professores que, certamente não se trata de férias prolongadas, ou se eximir de responsabilidades profissionais, mas temos que fiscalizar para ver se os cuidados preventivos e de proteção foram devidamente tomados”, destaca Sinésio.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •