Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A mãe de uma criança em Praia Grande denunciou o pai por ter vendido o recém-nascido por R$ 4 mil. Conforme a denúncia, a mulher teria sido agredida pelo ex-marido em 19 de março, após ele invadir a casa dela. O motivo da briga entre os dois teria sido a venda do filho deles pelo ex, no dia 3 de março. As informações são do G1.

Durante a investigação do caso, a polícia conseguiu localizar a criança, que estava com um casal em São Paulo. De acordo com o delegado Alex Mendonça, da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da cidade, foi pedido ao Poder Judiciário um mandado de busca para o recém-nascido, além do pedido de prisão do pai biológico e do comprador do bebê, um empresário de 33 anos.

“Eles fizeram uma adoção ‘à brasileira’, como é dito. O casal registrou o bebê em seu nome, como se fossem os pais biológicos”, afirma. De acordo com a polícia, o pai biológico do bebê, Ronaldo Alves de Souza, de 47 anos, está foragido.

Empresário foi solto

Já o empresário, que teria comprado a criança, chegou a ser preso no início deste mês, mas teve a liberdade provisória concedida na quinta-feira (8). Segundo o G1,  o juiz determinou a soltura levando em conta que o suspeito tem residência própria e não possui antecedentes criminais. Assim, ele deverá responder ao processo em liberdade.

Em depoimento à polícia, o empresário afirmou que conseguiu o contato da mãe do bebê por meio de uma comunidade na internet. Ele alegou que ajudou a mãe durante a gravidez, para poder ficar com o bebê quando nascesse. O delegado ressalta que em nenhum momento o suspeito disse ter feito uma compra.

De acordo com a polícia, a suspeita é de que exista um esquema de tráfico de bebês e crianças, que usa as redes sociais para viabilizar os crimes. O recém-nascido foi levado para uma casa de acolhimento em Praia Grande e, segundo o Conselho Tutelar, estava bem cuidado e não apresentava sinais de maus-tratos. Ele permanece à disposição do Juízo da Infância e da Juventude, que irá decidir o que fazer com o menino.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •