Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A entrega de suplemento mineral para 836 pecuaristas de regiões de várzea do Amazonas, iniciada pelo Governo do Estado nesta terça-feira (14/09), diminui os impactos causados pela cheia dos rios na produção dos trabalhadores. Produtores de 12 municípios receberão os insumos, que incluem farelo de soja e sal mineral, utilizados para a criação do gado. O objetivo é garantir emprego, renda e segurança alimentar.

A entrega dos itens iniciou para 28 pecuaristas do município de Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus), durante ação coordenada pelo governador Wilson Lima. Posteriormente a doação seguirá para outros municípios, que ao todo receberão mais de 8,5 mil sacos de farelo de soja, com 50 quilos cada, e mais de 3,3 mil sacos de sal com 30 quilos cada.

De acordo com o secretário de Produção Rural do Amazonas, Petrucio Magalhães Júnior, todos os pecuaristas selecionados atendem os critérios estabelecidos, entre eles a necessidade dos alimentos para o gado afetado pela subida dos rios.

“Todos eles foram levantados num cruzamento de dados do banco que a Adaf (Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas) possui juntamente com os assistidos pelo nosso Idam (Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam). Portanto, são aqueles pequenos realmente que mais precisam do Estado é que irão receber o farelo de soja e o sal mineral”, explicou Magalhães.

Benefícios – Entre os benefícios da suplementação mineral estão: aumento da produção de carne e leite, melhora a saúde do rebanho e diminuição da mortalidade, suprindo as deficiências das pastagens. O sal mineral fornece além do cloreto de sódio (sal branco), cálcio, fósforo, cobre, manganês, zinco, cobalto, iodo e enxofre.

A presidente da Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS), Michelle Bessa, destaca a importância do suplemento mineral para pecuaristas das regiões de várzea.

“Esse benefício que o Governo do Estado está dando para os pecuaristas que sofreram com certeza está amenizando esses impactos que eles sofreram com a enchente. Esses animais da região da várzea foram levados para a terra firme, e nesse momento em que cessam as chuvas eles não têm mais capim, então é necessário entrar com esse suplemento animal para esse gado continuar a produção adequada. Isso, com certeza, vai gerar emprego e renda, além de levar segurança alimentar para as famílias desses produtores”.

Uma das beneficiadas foi a pecuarista Gicélia Oliveira, de 37 anos. Moradora da comunidade São José, localizada na ilha do Jucurutu, em Iranduba, ela afirma que os insumos chegam em boa hora para garantir a criação do gado.

“Tivemos prejuízos porque a gente teve que transportar o gado devido a essa cheia, que foi grande. A gente teve prejuízo de cinco animais, porque não teve mais capim, não teve mais como os animais se alimentarem e então eles foram ficando debilitados. Devido a essa situação que estamos enfrentando, nós agradecemos muito porque isso vai ajudar muito os nossos animais. Chegou no momento certo em que a gente está precisando mesmo”.

Critérios para recebimento do suplemento

1. Estar em um município afetado e reconhecido em estado de emergência e que esteja sendo atendido pelo Projeto Prioritário do Idam;

2. Ser pecuarista afetado ou impactado pela cheia;

3. Estar cadastrado na Adaf;

4. Possuir carteira de produtor do Idam;

5. Possuir plantel de bovídeos de até 25 animais;

6. Consumo emergencial de 1kg de farelo de soja e 50g de sal mineral por animal.

Propriedades atendidas por município

Autazes – 121

Barreirinha – 116

Boa Vista do Ramos – 89

Careiro – 94

Careiro da Várzea – 86

Iranduba – 28

Itacoatiara – 52

Manacapuru – 77

Manaquiri – 52

Parintins – 52

São Sebastião do Uatumã – 19

Urucará – 50

TOTAL – 836


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •