Tenente Cláudio Souza com o advogado Marco Vicenzo, presidente do Diretório Nacional da UDN (Foto Divulgação)
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Extinto pelo governo de regime militar  em 1964, a União Democrática Nacional (UDN), partido fundado por Júlio Prestes, o único presidente eleito do Brasil a não tomar posse, a sigla partidária ressuscita arrojado e com proposta caltaputar ao cago prefeito e vereador  alguns nomes de seus quadros nas eleições e outubro próximo.

Pelo menos é assim  no Amazonas que, segundo o presidente Estadual da Nova UDN, tenente Cláudio Sousa, feliz, sorridente, pode salvar projetos políticos, como de candidatos sem partido ainda na expectativa, inclusive, da consolidação do partido do presidente Bolsonaro, Aliança pelo Brasil.

A Nova UDN, que abrigou figuras notáveis da política brasileira, como o polêmico jornalista Carlos Lacerda, que governou o estado da Guanabara e o conservador mineiro, Magalhães Pinto, aguarda ainda para este mês a homologação do registro definitivo do partido para participar das eleições de 2020.

Até lá, conforme descreveu o presidente da sigla local, a UDN já é visto como cereja do bolo das próximas eleições.
 
“Com fundo partidário, tempo de TV garantido, além da com a vinda de vários deputados federais para o partido, a UDN vai mudar o rumo das eleições desse ano”, avalia tenente Cláudio Sousa.

Em 1960, a União Democrática Nacional apoiou Jânio Quadros, eleito com uma vitória histórica. Jânio Quadros não pertencia aos quadros da UDN.

Nacional

De acordo com o advogado Marco Vicenzo, presidente do Diretório Nacional, com todas as etapas alcançadas no Tribunal Superior Eleitoral a UDN aguarda apenas as homologações de três diretórios para que neste mês de fevereiro tenha a homologação do registro definitivo do partido para participar das eleições de 2020, com fundo partidário e tempo de TV.

Em abril de 2019, o advogado Marco Vicenzo, presidente do Diretório Nacional, protocolou no TSE o pedido de refundação da UDN

“Com a homologação definitiva teremos garantido com a vinda de vários deputados federais e a UDN vai mudar o rumo das eleições desse ano, com a perspectiva de receber 12 deputados federais e 4 senadores no ato”, informou o presidente, afirmando que a UDN é a cereja do bolo para vários políticos que poderão se filiar sem infidelidade partidária, sem a criação do partido Aliança para 2020 já declarada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Marco Vicenzo disse que a tendência é a UDN salvar várias candidaturas, no Amazonas o grupo do presidente Estadual tenente Cláudio Souza já está sendo procurado por vários deputados e candidatos a prefeitos.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •