Em maio do ano passado, a Câmara Municipal de Coari, a unanimidade, cassou os mandatos dos vereadores por quebra de decoro parlamentar
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A unanimidade de votos a Segunda Câmara Cível, do Tribunal de Justiça do Amazonas deu provimento Agravo Interno interposto pela Mesa Diretora da Câmara Municipal de Coari, cassando a tutela de urgência em Agravo de Instrumento e mantendo assim a cassação dos mandatos dos vereadores Ademoque Rebouças da Silva Junior, Ewerton Rodrigo Alves de Medeiros, Aldervan Souza Cordovil e Samuel Pereira de Castro.

Em maio do ano passado, a Câmara Municipal de Coari cassou os mandatos dos vereadores por quebra de decoro parlamentar.

De acordo com acórdão, a relatora dos autos desembargadora Socorro Guedes, acatou as alegações da Mesa Diretora da Câmara que trouxe a discussão sobre a existência de litisdependência (litígio conduzido simultaneamente perante dois graus do mesmo tribunal, o que leva a providenciar que o processo seja retirado de um em favor do outro).

Segundo a Mesa Diretora, o fato se deu porque os vereadores cassados ingressaram com três Mandados de Segurança, com a diferença de alguns minutos entre eles, como estratégia de defesa imaginando que aumentariam suas chances de sucesso.

Em março deste ano, a Segunda Câmara Cível, deu provimento ao Recurso, cassou a tutela de urgência que havia sido deferida, e ante ao reconhecimento de litisdependência, extinguiu o processo de base, sem resolução do mérito.

“No caso, entendeu-se pela ocorrência de litispendência (mais de um processo tramitando simultaneamente em tribunais) entre o presente mandato de segurança e a ação ordinária n. 0027812-80.2013.4.01.3400, na ocasião em que as ações intentadas objetivam, ao final, o mesmo resultado, ainda que o polo passivo seja constituído de pessoas distintas”, diz parte do voto da relatora, desembargadora Socorro Guedes.

Entenda o caso

No dia 19 de maio do ano passado, a Câmara Municipal de Coari, a unanimidade, cassou os mandatos dos vereadores Samuel Pereira de Castro (PSL), Ademoque Rebouças da Silva Filho (PSDC), Aldervan de Souza Cordovil (PTB) e Ewerton Rodrigo Alves de Medeiros (DEM), por quebra de decoro parlamentar.

Vereadores de Coari Samuel Castro, Ewerton Medeiros, Ademoque Filho e Aldervan Cordovil

A comissão processante chegou a ser suspensa em setembro de 2018 pelo Tribunal de Justiça do Amazonas até que se periciasse o áudio entregue a Câmara Municipal.

O vereador Carlos Endrick dos Santos Nascimento, relator da processante, votou pela cassação dos vereadores denunciados por quebra de decoro parlamentar.

Acórdão

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Clique para baixar


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •