Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) firmou nesta quinta-feira (1º) parceria com o Google no âmbito do programa de combate à desinformação nas Eleições 2020.

O objetivo é ajudar os eleitores a ter acesso rápido e simples a informações de qualidade e fornecidas por fontes oficiais sobre o processo eleitoral, já que o voto consciente é um dos pilares da democracia.

Além disso, o tribunal espera que os cidadãos estejam bem informados sobre as medidas de cuidados sanitários adotadas neste ano em razão da pandemia da Covid-19.

Para isso, o Google vai disponibilizar recursos em suas plataformas para ajudar os eleitores brasileiros a encontrarem conteúdos confiáveis e de utilidade pública elaborados pela Justiça Eleitoral. Uma das novidades é o painel “Como Votar”, que traz respostas no topo da Busca para perguntas frequentes sobre o processo eleitoral e mais detalhes sobre os cuidados sanitários indicados pelo Tribunal para que o eleitor compareça à sua seção eleitoral e vote com segurança. Assim, quando o eleitor pesquisar sobre “Como votar” no Google, ele terá acesso direto a informações oficiais do TSE antes de qualquer outro resultado.

Pelo acordo anunciado hoje, servidores do TSE e dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) já estão sendo capacitados a utilizarem todas as possibilidades do Google para apuração, produção e divulgação de conteúdo.

Durante o período eleitoral, o Google vai ainda produzir e promover lives em parceria com o tribunal visando ampliar o conhecimento do eleitor brasileiro em temas importantes como desinformação, protocolos sanitários para o dia da votação e mitos sobre o processo eleitoral. Essas lives serão divulgadas e veiculadas nos perfis de redes sociais do Google e também do TSE.

Para denúncias de conteúdo enganoso em suas plataformas, o Google mantém seus canais de comunicação abertos aos usuários, entre eles o de suporte de reclamação para anúncios, (clique aqui) e para outros produtos em geral (clique aqui). Além disso, a empresa tomou todas as medidas necessárias perante o TSE e os Tribunais Regionais para reforçar um canal  de comunicação para cumprimento das ordens judiciais.

O convênio entre o TSE e o Google termina no dia 19 de dezembro de 2020, com o fim do processo eleitoral.

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, afirmou que essa parceria é feita em boa hora para potencializar o acesso a informação de qualidade e verdadeira e reprimir comportamentos articulados por quem procura destruir reputações e degenerar a democracia.

O ministro destacou que a tecnologia promoveu um avanço civilizatório facilitando a comunicação e o acesso ao conhecimento. “Temos mais dados, mais informações e mais capacidade de participar esclarecidamente da vida do país”, disse ele, ao fazer referencia à liberdade de expressão com a livre circulação de notícias, fatos, informações e opiniões que permitam que cada um construa a sua verdade.

“Democracia existe para que as pessoas possam votar de maneira informada estando expostas a múltiplas visões de mundo que se apresentam numa sociedade aberta e plural, participando do debate público de maneira informada e esclarecida”, finalizou.

Para o diretor de Relações Governamentais e de Políticas Públicas do Google Brasil, Marcelo Lacerda, a desinformação é um problema complexo que precisa ser combatido por toda a sociedade. “Uma das melhores formas de fazer isso é criando maneiras para conectar, de forma simples e rápida, os eleitores brasileiros a conteúdos confiáveis e de qualidade e ajudá-los a tomarem decisões bem informadas. É justamente isso o que estamos promovendo via essa parceria com o TSE”.

O acordo faz parte de uma série de medidas tomadas pelo tribunal para incentivar a circulação de informações oficiais sobre o processo eleitoral. As plataformas ofereceram produtos e serviços, sem custo aos cofres públicos.

(Com informações da Assessoria do TSE)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •